Quem é quem na Comissão da Verdade
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Quem é quem na Comissão da Verdade

Redação

16 de maio de 2012 | 16h08

A presidente Dilma Rousseff empossou nesta quarta-feira, 16, os sete membros que integrarão a Comissão da Verdade, que vai “esclarecer os fatos e as circunstâncias dos casos de graves violações de direitos humanos” ocorridos entre 1946 e 1988 e “promover o esclarecimento circunstanciado dos casos de torturas, mortes, desaparecimentos forçados, ocultação de cadáveres”. Veja quem é cada um deles:

– Cláudio Fonteles foi procurador de Justiça e procurador-geral da República no governo Lula de 2003 a 2005. Atuou no movimento político estudantil e pertenceu ao grupo Ação Popular (AP), que comandou a União Nacional dos Estudantes (UNE) na década de 60.

– Gilson Dipp é atualmente ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Foi juiz do TRF da 4ª Região (1989) e presidente da instituição (1993-1995). Atuou como corregedor nacional de Justiça (2008-2010);

– José Carlos Dias é conselheiro da Comissão de Justiça e Paz de São Paulo, da qual já foi presidente, e atuou como Secretário da Justiça do Estado de São Paulo durante o governo de Franco Montoro (1983 a 1987) e como Ministro da Justiça no governo Fernando Henrique Cardoso (julho de 1999 a abril de 2000).

– José Paulo Cavalcanti Filho, advogado e escritor, é consultor da Unesco e do Banco Mundial. Atuou como ministro da Justiça no governo de José Sarney.

– Maria Rita Kehl é psicanalista formada em psicologia pela Universidade de São Paulo. Foi editora do Movimento, um dos mais importantes jornais da oposição durante o regime militar no Brasil.

– Paulo Sérgio Pinheiro, diplomata, atuou como relator especial dos direitos humanos em Mianmar, nomeado pela ONU. Mais recentemente, em 2011, liderou as investigações internacionais na Síria. Criticou decisão do STF de manter a Lei da Anistia.

– Rosa Maria Cardoso Foi advogada de Dilma Rousseff durante a ditadura, além de ter defendido outros presos políticos. Defende que somente agentes do Estado sejam investigados pela comissão.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.