As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Presidente do TSE vai a Sergipe acompanhar investigação de atentado contra magistrado

Bruno Siffredi

18 de agosto de 2010 | 15h10

Andrea Jubé Vianna, de Brasília

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, embarca em instantes para Aracaju, capital de Sergipe, para acompanhar o início das investigações do atentado contra o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SE), Luiz Antônio Araújo Mendonça, ocorrido nesta manhã.

Lewandowski externou a preocupação de toda a Justiça Eleitoral com o episódio e afirmou que todas as providências estão sendo tomadas para esclarecer o crime. Ele relatou que conversou por telefone com o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, o governador Marcelo Déda (PT) e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cezar Peluso.

“Todas s forças de segurança do País e do Estado estão mobilizadas, as fronteiras vigiadas, e o ministro da Justiça deu prioridade para a solução desse caso”, afirmou o presidente do TSE.

Lewandowski ressaltou que se trata de um “incidente isolado, raro na história do País”, que não impedirá a realização de “eleições tranquilas” no País. Mesmo assim, ele cogita medidas para reforçar a segurança dos juízes eleitorais que, segundo ele, dispensam por conta própria a prerrogativa.

Ele observou que é cedo para apontar os motivos do atentado, mas não descarta a hipótese de crime eleitoral. Ele lembrou, entretanto, que antes de assumir a presidência do TRE-SE, Mendonça atuou no Ministério Público estadual e foi secretário de Segurança Pública. Nesse caso, não descarta vingança por questões pessoais ou ligada à atuação dele como promotor de justiça.

“Ele escapou por um milagre”, relatou Lewandowski, que falou por telefone com Mendonça. O carro que levava o presidente do TRE, segundo Lewandowski, foi atingido por mais de 30 tiros de diversos calibres, inclusive de escopeta. Ele abaixou-se e foi atingido apenas de raspão, mas seu motorista foi gravemente ferido. O carro não era blindado e foi totalmente perfurado pelos tiros.

Ainda segundo Lewandowski, o presidente do TRE passa bem e estaria até cogitando comparecer ao encontro nacional de presidentes de Tribunais Regionais Eleitorais que ocorre em Brasília na próxima sexta-feira, 20. Neste momento, Mendonça recupera-se do atentado no hospital, mas precisará passar por cirurgia.

Ajuda federal. O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, determinou à Polícia Federal que auxilie as polícias de Sergipe na investigação do atentado contra o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Estado.

Barreto colocou a PF à disposição para auxiliar nas investigações e, em seguida, conversou com o governador de Sergipe, Marcelo Déda, que aceitou a ajuda da Polícia Federal e acertou com o ministro detalhes de como seria o trabalho de cooperação entre as polícias.

A atuação da PF se dará principalmente nas áreas de perícia e inteligência, auxiliando a polícia local na apuração dos motivos que levaram ao atentado e na localização dos criminosos.

Atualizado às 17h51 com informações do Ministério da Justiça

selinho_twitter2

Tudo o que sabemos sobre:

atentadoSergipeTSE

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.