As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Presidente da OAB e líder do DEM criticam possibilidade de retorno da CPMF

Camila Tuchlinski

04 de novembro de 2010 | 14h34

Da Redação

O presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, disse em Curitiba que é “preocupante” a possibilidade do retorno da CPMF sem se falar em reforma tributária. “É querer jogar nos braços da sociedade toda uma responsabilidade para manter o Estado”, destacou. Para ele, é preciso discutir o assunto, mas não resolvê-lo à custa da sociedade.

O líder do DEM na Câmara, Paulo Bornhausen (SC), emitiu nota de repúdio à possibilidade de recriação da CPMF. “A continuidade prometida durante a campanha está privilegiando as piores características deste governo federal”, escreveu o deputado. Leia abaixo a íntegra do texto:

“CPMF NUNCA MAIS

A Liderança dos Democratas na Câmara dos Deputados repudia veementemente a possibilidade de recriação da CPMF, o famigerado Imposto do Cheque.

Seguindo ordens, inspiradas no capricho vingativo do atual Presidente da República, a Presidente eleita, Dilma Rousseff, está convocando os governadores de sua base aliada para assumirem o movimento pela volta do imposto que o povo brasileiro derrubou.

A continuidade prometida durante a campanha está privilegiando as piores características deste governo federal, a falta de competência para gerir os recursos públicos e a gana pela cobrança de impostos.

O aumento da IOF – logo após o fim da CPMF – e o constante aumento da arrecadação de impostos alimentaram os cofres públicos com mais recursos do que os gerados pelo Imposto do Cheque.

A solução para o caos da saúde pública do Brasil está na regulamentação da Emenda 29 e na profissionalização da gestão.

Os Democratas não permitirão que o povo pague a conta da eleição.

Conclamamos a Oposição, no Congresso e no Legislativo e Executivo estaduais, e toda a sociedade para impedir mais esse descalabro do governo do PT.

CPMF nunca mais.

Lider do Democratas Paulo Bornhausen (SC)”.

Tudo o que sabemos sobre:

CPMFDEMOABOphir CavalcantePaulo Bornhausen

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.