As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Políticos transformam Twitter em palanque eleitoral

Camila Tuchlinski

06 Julho 2010 | 16h55

Gustavo Uribe e André Mascarenhas

Dada a largada do processo eleitoral, os candidatos colocaram hoje suas campanhas na rua – e na rede. Minutos após início oficial da campanha, o Twitter já começava a ganhar contorno de palanque eleitoral, com direito a promessas e divulgação dos números das legendas.

Os candidatos à sucessão presidencial puxaram o coro da propaganda na rede. O notívago presidenciável do PSDB, José Serra (@joseserra_), desejou na madrugada de hoje “boa campanha” a todos os candidatos e divulgou vídeo, gravado a pedido do jornal O Globo, em que explica o motivo de querer ser eleito presidente da República.

Minutos após a meia noite, seguidores de Serra e políticos do PSDB já usavam a rede para promover a candidatura do tucano. No site Mobiliza, do PSDB, entusiastas do tucano defendiam sua candidatura em videoconferência, enquanto mensagens de apoio eram postadas no Twitter. O candidato gostou da iniciativa e parabenizou os seguidores. “Gostei de ver a animação aqui. Muita gente ficou esperando até depois da meia-noite, só pra mandar seu 1º tweet de campanha. Agora é legal!”, escreveu.

Principal adversária do tucano na corrida eleitoral, a candidata do PT, Dilma Rousseff (@dilmabr), cobrou uma campanha de “alto nível” de seus oponentes e anunciou a caminhada que faria na manhã de ontem no centro de Porto Alegre (RS). “Chegou a hora de ir às ruas”, escreveu.

Além do uso do perfil da candidata na rede de microblogs, a campanha da petista aproveitou o início oficial do processo eleitoral para incentivar a mobilização da militância. Em e-mail enviado pelo site da candidata, o apelo era para que os eleitores da petista se engajassem. “A campanha eleitoral começa oficialmente nesta terça-feira (6) e a partir de agora cada um de nós assume um papel estratégico para eleger Dilma Rousseff – a primeira mulher a ser Presidente do Brasil”, diz a nota. No texto, assinado pela “Equipe Dilma na Web”, havia instruções sobre como usar o Twitter e informações da agenda da candidata.

Terceira coloca nas pesquisas, a candidata do PV, Marina Silva (@silva_marina), usou o Twitter para pedir a um internauta que ajude a fortalecer a legenda e assegurou a outro que garantirá um Estado laico caso seja eleita. “Um presidente religioso garantirá o estado laico pelos mesmos motivos que um presidente ateu o fará”, afirmou a senadora, que é evangélica.

A candidata verde também teve seu site reformulado, com o número do PV estampado no alto da página. Outra novidade no endereço são os chamados para que os eleitores participem ativamente da campanha, seja participando da construção do programa da candidata, seja fazendo doações pela internet. Detalhe: quem clica no link para doações se depara com uma mensagem avisando que o serviço ainda não está disponível.

Números

Além de propostas de campanha e pedidos de votos, muitos candidatos aproveitaram o Twitter para fixar o número que deve ser digitado na urna eletrônica durante a votação. O ex-prefeito do Rio de Janeiro César Maia (@cesarmaia), candidato ao Senado Federal pelo DEM, estampou no layout de seu perfil do Twitter o número “251” e divulgou aos internautas o seu site oficial de campanha. Também pelo Rio de Janeiro, o deputado federal Fernando Gabeira (@gabeiracombr), candidato do PV ao governo do Estado, destacou na sua página na rede social o número “43” e divulgou link com as suas principais propostas de campanha.

Mais conteúdo sobre:

InternetolíticosPalanquetwitter