As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Primeira-dama e vice-prefeito de Campinas são procurados pela polícia

Lilian Venturini

10 de junho de 2011 | 11h18

Tatiana Fávaro

A primeira-dama de Campinas, Rosely Nassim dos Santos, e o vice-prefeito, Demétrio Vilagra, tiveram prisão decretada na noite desta quinta-feira, 9, e são considerados foragidos da Justiça. Rosely foi ouvida pelo Ministério Público na semana passada e é apontada como centro de suposto esquema de corrupção, fraudes em licitações e desvios de recursos públicos desmantelado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), braço da Promotoria do Estado de São Paulo. Nova operação da Polícia Civil e do Ministério Público, nesta sexta-feira, 10, está em andamento para cumprir os mandados de prisã.

Além deles, tiveram mandados de prisão expedidos pela 3ª Vara Criminal de Campinas outros cinco ex-funcionários da administração Hélio de Oliveira Santos (PDT): o ex-secretário de Comunicação Francisco de Lagos e os ex-diretores Ricardo Candia (Prefeitura) e Aurélio Cance Junior (Sanasa), ainda não encontrados; e o ex-secretário de Assuntos de Segurança Pública, Carlos Henrique Pinto, e o ex-diretor comercial da Sanasa, Marcelo Figueiredo, ambos presos na manhã desta sexta.

Em maio, polícia e Ministério Público deflagraram megaoperação com 20 mandados de prisão de suspeitos de envolvimento em suposta organização criminosa que teria causado prejuízos de R$ 615 milhões aos cofres públicos. Sob acordo de delação premiada, Luiz Augusto Castrillon de Aquino, ex-presidente da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S.A. (Sanasa), revelou em janeiro deste ano detalhes do suposto esquema de corrupção.

Texto alterado às 12h15 para atualizações

Tudo o que sabemos sobre:

Campinasfraudesprimeira-dama

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.