As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pimentel processará Serra por vinculá-lo à quebra de sigilo de Eduardo Jorge

Bruno Siffredi

23 Julho 2010 | 13h44

Atualizado às 16h57

O ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT-MG), repudiou nesta sexta-feira, 23, em nota, as declarações do candidato do PSDB à Presidência, José Serra, e prometeu ir à Justiça contra o tucano. Serra apontou suposto envolvimento de Pimentel com a violação do sigilo fiscal do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge.

“Repudio com veemência as declarações do candidato à Presidência, José Serra, concedidas à imprensa ontem, 22, as quais fazem referências ao meu nome como articulador de uma operação inexistente e a qual repilo com a convicção dos meus 40 anos de trajetória política”, indicou Pimentel. Ele disse lamentar que a oposição “encontre discurso eleitoral apenas em acusações infundadas e ilações morais contra membros do PT”.

Segundo o petista, Serra demonstrou “desequilíbrio ao disparar insinuações caluniosas e ultrapassar os limites da responsabilidade de quem se declara um homem público experiente e preocupado com as questões maiores do Brasil”.

“As mentiras, as injúrias e as calúnias são armas de quem não quer, ou não tem preparo, para o debate democrático de ideias e de propostas. Não desceremos a este nível”, concluiu Pimentel, que prometeu tomar medidas judiciais contra o tucano.

Em entrevista publicada nesta sexta-feira pelo jornal Zero Hora, de Porto Alegre, RS, Serra disse, referindo-se ao caso Eduardo Jorge, que o PT tinha “montado um grupo de dossiê sujo” para desqualificar os adversários e apontou Pimentel como suposto coordenador da iniciativa.

selinho_twitter2