As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Perillo exonera assessor que fez o depósito a filha de Bordoni

Redação

06 de junho de 2012 | 20h35

Fernando Gallo,  de O Estado de S.Paulo

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), exonerou da administração o assessor especial Lúcio Fiúza Gouthier, homem de sua confiança. Segundo a assessoria de imprensa do governo, a exoneração foi pedida por Fiúza, que teria alegado “razões particulares” para deixar o governo.

A saída do agora ex-assessor ocorre depois da acusação feita na última sexta-feira ao Estado pelo jornalista Luiz Carlos Bordoni de que Fiúza foi o responsável por um depósito de R$ 45 mil na conta de sua filha, Bruna Bordoni, pela Alberto e Pantoja, empresa fantasma que, segundo a Polícia Federal, era comandada por Carlinhos Cachoeira.

O jornalista sustenta que o pagamento se referia a uma dívida de campanha pelos serviços que prestou à campanha de Perillo nas eleições de 2010. Ele era o responsável pelo programa de rádio e fazia também as vezes de locutor. Bordoni alega que só se deu conta na semana passada de que o depósito foi feito pela Pantoja, quando sua filha foi citada durante o depoimento do senador Demóstenes Torres (sem partido/GO) ao Conselho de Ética como beneficiária da empresa.

O jornalista também afirmou que recebeu de Fiúza, em 2002, no apartamento do ex-assessor, dois pagamentos em dinheiro vivo por dívidas pelos serviços que prestou à campanha de Perillo naquele ano. Fiúza nega as acusações e sustenta que não participou de contratação nem de pagamento de qualquer profissional na campanha de 2010.

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.