As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Peça-chave do quebra-cabeça PSDB-DEM vai a convenção do PSDC em Sergipe

Armando Fávaro

28 de junho de 2010 | 12h04

Por André Mascarenhas

Uma das peças-chave para a finalização do quebra-cabeça em que se tornou a aliança nacional entre o PSDB e o DEM, o candidato tucano ao Senado por Sergipe, deputado federal Albano Franco, participa nesta manhã da convenção do PSDC que irá oficializar o nome do pastor Ariovaldo José ao governo do Estado. Embora ainda não tenha sido oficializada uma eventual aliança entre Albano Franco e Ariovaldo José, a aproximação entre os dois indica que o PSDB não conseguiu um compromisso de seu candidato ao senado em apoiar o candidato do DEM ao governo de Sergipe, João Alves Filho.

A aliança entre o tucano e o democrata era dada como fundamental para esfriar as críticas de líderes do DEM à decisão do PSDB de anunciar o senador Álvaro Dias, do PSDB do Paraná, como candidato a vice-presidente na chapa de José Serra. Caso Albano Franco feche o acordo com Ariovaldo José, um dos trunfos do PSDB para conseguir um compromisso de engajamento do DEM na campanha de Serra cai por terra. Segundo a assessoria de imprensa do PSDC, as conversas entre Albano Franco e Ariovaldo José não estão finalizadas. Um assessor do deputado tucano, entretanto, disse que Albano encontra-se no palanque da convenção do PSDC.

Na sexta-feira, o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra, esteve em Aracaju para tentar uma aproximação entre Albano Franco e o candidato do DEM ao governo, João Alves Filho. O acordo parece não ter funcionado, já que na manhã de sábado, Albano Franco anunciou que sairia candidato ao Senado em uma chapa independente.

Estava prevista para hoje uma reunião com Serra e líderes DEM na qual seriam oferecidas soluções para impasses estaduais entre os dois partidos. A expectativa no DEM era a de que o PSDB poderia enquadrar os tucanos que resistem a abrir mão de suas candidaturas para o DEM nos Estados. Os maiores imbróglios seriam no Pará e em Sergipe.

Procurado na manhã de hoje, o presidente nacional do DEM, deputado Rodrigo Maia, não confirmou a reunião. Segundo sua assessoria, o deputado não agendou viagem para São Paulo. Em entrevista à CBN, Guerra disse “desconhecer” a reunião.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: