As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Partidos aliados receberam mais dinheiro que a oposição em 2010

Lilian Venturini

02 de maio de 2011 | 22h10

Agência Estado

Prestações de contas encaminhadas nesta segunda-feira, 2, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que os partidos aliados do governo receberam doações milionárias enquanto o PPS, da oposição, arrecadou apenas R$ 332 mil de empresas. A principal fonte de recursos da legenda foi o fundo partidário, que contribuiu com R$ 7,8 milhões.

Os dados fazem parte das prestações de contas de 2010 entregues pelos partidos políticos ao TSE. O prazo legal para a entrega da documentação terminou às 19 horas desta segunda. Todas as legendas encaminharam os dados. Os últimos a prestar contas ao TSE foram o PSDB, PV e PSTU.

Até esta noite, o tribunal tinha divulgado parte das contas, do PP, PDT, PRP, PRB, PCB, PPS, PTN, PCO e PTC. Dados do PT, PSDB, PMDB, PV, DEM e PR não foram divulgados. Nas prestações, os partidos devem discriminar valores e destinos dos recursos do fundo partidário e origem e valor das contribuições e doações, além das receitas e despesas.

O PP gastou no ano passado com as eleições R$ 20,8 milhões e recebeu de doações R$ 17,5 milhões, além dos R$ 13,6 milhões do fundo partidário. Entre os doadores ao partido estão a construtora Andrade Gutierrez, a Vital Engenharia Ambiental, a Ultrafertil e o Banco Alvorada. No total, o PP arrecadou durante o ano R$ 31,2 milhões e gastou R$ 33,1 milhões. Ficou com as contas, portanto, no vermelho.

O PRB, conforme dados informados ao TSE, recebeu de empresas no ano passado R$ 8,7 milhões. A principal doadora foi a construtora Andrade Gutierrez. Do fundo partidário, a legenda recebeu apenas R$ 729 mil. Além dessas receitas, o partido arrecadou R$ 120 mil dos parlamentares filiados à legenda, R$ 66 mil doados por pessoas físicas e R$ 272 mil de filiados. O partido informou que apenas R$ 228 mil foram gastos com campanhas. Mas transferiu para os diretórios das legendas, contas de candidatos e comitês financeiros mais de R$ 6,5 milhões. O partido conseguiu fechar o ano com uma sobra de R$ 3 milhões de recursos.

O PDT fechou o ano com um rombo de quase R$ 3 milhões nas suas contas. A legenda arrecadou R$ 18,8 milhões e gastou R$ 21,7 milhões. Apesar dos gastos maiores, o partido ainda guardava recursos nas suas contas de anos anteriores. O partido do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, arrecadou no ano passado com doações de empresas R$ 8 milhões. Do fundo partidário, o PDT recebeu R$ 10 milhões. Na lista dos maiores doadores estão a Andrade Gutierrez, a Conserva Conservação de Estradas, a Construtora Queiroz Galvão e a Mendes Junior Trading e Engenharia.