As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Para o PMDB não ficar com presidência da Câmara, vai depender das compensações’, diz peemedebista

Camila Tuchlinski

22 de novembro de 2010 | 11h58

Rodrigo Alvares

Nos bastidores da bancada do PMDB no Senado, a briga pelos cargos de comando – presidência e liderança do partido na Casa – segue intensa. De acordo com um interlocutor do partido, dada como certa a candidatura de José Sarney (AP) à reeleição, a disputa agora é para definir quem será o líder da sigla – cargo geralmente indicado por alguém ligado ao presidente da Casa.

temer1.jpg

Recém-eleito para o Senado e aliado a Temer, Eunício Oliveira quer liderança do PMDB na Casa – posto atualmente ocupado por Renan Calheiros. Foto: Celso Junior/AE – 18.11.2010

Sobre a disputa pela presidência da Câmara, disse: “Lá não tem discussão, a cadeira também é do PMDB. Para não ficarmos com ela, vai depender das compensações. Só em função do Senado eles não abririam mão da Câmara”.

Segundo fontes, o ex-ministro das Comunicações Eunício Oliveira (CE) quer tomar o posto de Renan Calheiros (AL). O problema para Eunício  – que acaba de ser eleito para seu primeiro mandato como senador – é fazer parte da chamada “Turma do Temer”.

Conforme tem sido dito por parlamentares de PT e PMDB, o vice-presidente eleito não tem no Senado a influência que tem na Câmara. “A briga é escancarada por espaços políticos, cargos e ministérios”, disse um peemedebista.

Tudo o que sabemos sobre:

CâmaraMichel TemerPMDBSarneySenado

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.