Palanque – Um giro pelas campanhas eleitorais
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Palanque – Um giro pelas campanhas eleitorais

Jennifer Gonzales

03 de setembro de 2010 | 23h06

Luciana Nunes Leal

MINAS GERAIS

Sai a plenária, entra o comício

O PT tem plano duplo para enfrentar José Serra nos próximos dias. Primeiro, reforçar o discurso do desespero tucano, como defesa para o assunto incômodo – e até agora sem explicação – da quebra do sigilo fiscal da filha do candidato. A outra frente é investir em Minas Gerais e fazer o possível para evitar que o Estado se torne o bastião da oposição, diante da subida nas pesquisas de Antonio Anastasia (PSDB), afilhado do ex-governador Aécio Neves. A previsão inicial de que o presidente Lula faria uma plenária para 3 mil militantes em Belo Horizonte, no dia 8, evoluiu para um comício em Contagem.

piciani felipe werneck ae 03082010 480
Cabo eleitoral involuntário
Candidato ao Senado no Rio, Jorge Picciani (PMDB) não liga para o fato de que Lula restringiu o apoio a Lindberg Farias (PT) e Marcelo Crivella (PRB). Espalhou cartazes com fotos ao lado do presidente.

SANTA CATARINA

Neutralidade perto do fim

Líder nas pesquisas para o governo, Ângela Amin (PP) está neutra no plano nacional, mas, no caso provável de segundo turno no Estado, é certo que se alinhe a Dilma Rousseff, seja a petista eleita ou não em 3 de outubro. Ângela, que tem um vice do PDT, deverá receber apoio do PT contra Raimundo Colombo (DEM). No Rio Grande do Sul, pesquisas indicam segundo turno entre José Fogaça (PMDB), também neutro, contra Tarso Genro (PT), antigo companheiro de Dilma.

SÃO PAULO

Pé no chão

Rende frutos a competição entre PT e PSDB sobre ações nas favelas. O presidente Lula determinou que, no PAC 2, nenhuma moradia seja entregue sem acabamento, como aconteceu na primeira etapa do programa federal. Em Paraisópolis, Lula disse que “daqui para frente, casa tem de ter cerâmica no chão” e “não é possível imaginar que pobre não gosta de coisa boa”. Já os tucanos ressaltam na propaganda de TV que as casas construídas pelo Estado estavam completas, “com azulejos”.

SOBE & DESCE

Humor
seta_cima (2)Piadas liberadas
O STF avança na suspensão do artigo da lei que proíbe a sátira com candidatos e partidos em período eleitoral, nos programas humorísticos.

Confronto
seta_baixoCandidatos em fuga
Especialmente os favoritos nas pesquisas têm rejeitado convites para debates e sabatinas, para escapar de perguntas incômodas.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.