As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Palanque – Um giro pelas campanhas eleitorais

Jennifer Gonzales

02 de agosto de 2010 | 22h09

Luciana Nunes Leal

BRASIL

Dilma treina falas curtas, Serra evita arrogância

Embora seja difícil medir os efeitos do primeiro debate na TV, que acontece quinta-feira, 5, na Band, Dilma Rousseff e José Serra sabem que não podem escorregar, deixando o adversário em vantagem. Dilma estuda números do governo, como investimentos e indicadores sociais, mas também dá grande atenção à forma. Segundo André Vargas, secretário de Comunicação do PT, uma das preocupações da candidata é responder às perguntas no curto espaço de tempo definido pelo mediador. Dilma, que costuma dar respostas longas e inconclusivas, está treinando duro. José Serra acredita que a experiência em campanhas anteriores o favorecerá. Elegeu saúde e segurança como temas preferenciais. Aliados do tucano apostam na comparação de currículos, mas pedem cuidado para evitar uma imagem arrogante.

RIO

Dividendos das UPPs

Em plena campanha, o Ministério do Turismo planeja lançar, dia 13, um programa de estímulo ao turismo na Favela Santa Marta, primeira a receber uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), carro-chefe da campanha do governador Sérgio Cabral (PMDB). O projeto terá R$ 184,2 mil da União. Aliados de Fernando Gabeira (PV), tucanos e democratas reconhecem a dificuldade de enfrentar a vantagem de Cabral, mas não se conformam com os 19 pontos de Dilma à frente de Serra no Estado, apontados pelo Ibope. No fim de semana, o DEM fez uma pesquisa própria.

CEARÁ

Senso de oportunidade

Candidato do PR ao governo, Lúcio Alcântara aproveitou a frieza do encontro de Ciro Gomes (PSB) com Dilma Rousseff, na semana passada, para reforçar o apoio à ex-ministra. Apesar do favoritismo do governador Cid Gomes, irmão de Ciro e aliado da petista, Alcântara exibe fotos de Dilma e do presidente Lula em sua propaganda. O palanque duplo incomoda os socialistas. Além disso, a mágoa de Ciro com Lula não diminuiu. O deputado disse que chorou “de humilhação” uma única vez na vida: quando, a pedido do presidente, mudou o domicílio eleitoral para São Paulo.

SÃO PAULO

Anfitrião muito fiel

O prefeito de Indaiatuba, Reinaldo Nogueira (PDT), recebeu Geraldo Alckmin e Aloysio Nunes Ferreira, do PSDB, em um churrasco, na noite de sexta-feira passada. Aliados dos tucanos comemoraram o “apoio”. Mas Nogueira jura que continua com Aloizio Mercadante (PT).

AMAZONAS

Escassez de voto preocupa tucanos

Coligado com o PSDB, o candidato ao governo Hissa Abrahão (PPS) tem só 1% no Ibope (TSE 20710/2010). Para presidente, Dilma tem 68% e Serra, 16%.

CALENDÁRIO
“Reunião de coordenação política de campanha funciona assim: no começo, tem toda semana. Depois, a cada quinze dias. No final, só uma no mês.”
ALEXANDRE CARDOSO
DEPUTADO (PSB-RJ)

selinho_twitter2

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: