As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Palanque – Um giro pelas campanhas eleitorais

Jennifer Gonzales

14 Julho 2010 | 22h00

Por Luciana Nunes Leal

BRASIL1

A estratégia do ‘falem mal, mas falem de mim’

Apesar do pedido de desculpas do presidente Lula por ter citado Dilma Rousseff em um compromisso de governo, a campanha petista aproveita cada oportunidade em que o nome da candidata é associado a seu padrinho. A tese é de que as notícias sobre suposto uso da máquina pública e os protestos dos adversários colaboram para consolidar a informação de que Dilma é candidata de Lula e da continuidade do governo. Martelar esta ideia é o objetivo número 1 até o início do programa de rádio e TV, quando a imagem do presidente será explorada à exaustão. Na campanha adversária, os aliados de José Serra estão encarregados de insistir no discurso de que Dilma não é Lula e não está preparada para enfrentar as pressões dos próprios aliados, seja a ala mais radical do PT ou o PMDB do vice Michel Temer.

BRASIL2

Desafio para marqueteiros

Em reunião na segunda-feira passada, dirigentes tucanos comentaram a dificuldade de se montar, na TV, um discurso nacional para um país com tantas diferenças. O presidente do PSDB do Ceará, Marco Penaforte, dá um exemplo: “Falar do autoritarismo de Hugo Chávez tem efeito nos grandes centros, mas não tanto no interior do Nordeste. Já a crítica à facilidade do tráfico de drogas da Bolívia tem forte impacto. O crack é um drama nas pequenas cidades.”

RIO

Caminhada saudosista

O presidente Lula deve chegar somente no início da noite ao centro da capital, a tempo de participar do comício de encerramento da caminhada pró-Dilma, entre a Candelária e a Cinelândia, marcada para amanhã. Vai argumentar que está fora do horário do expediente. Desde a terça-feira, 14, PT, PMDB e outros aliados convocam a militância para a passeata, que pretende reviver os tempos das Diretas Já e das primeiras eleições presidenciais depois da redemocratização.

GOIÁS

Inspiração verde

A candidata do PV Marina Silva estacionou nas pesquisas, mas, com seu discurso ecológico, faz escola entre os adversários. Candidato do PSDB ao governo goiano, Marconi Perillo inovou nas promessas. Aproveita a viagem de José Serra ao Estado, prevista para a próxima terça-feira, para anunciar o compromisso de plantar cem mudas de plantas em cada município onde fizer campanha. Promete 24.600 novas árvores. No Rio, cabos eleitorais começaram a circular de bicicleta na orla da zona sul com enormes bandeiras do recém-criado “PMDB Verde”.

OPERÁRIO

“Qualquer trabalhador que bate cartão sabe que, na hora do almoço, pode fazer o que quiser. Almoçar, tomar banho de mar ou panfletar na Central do Brasil. Com os agentes públicos é a mesma coisa.”

LUIZ SÉRGIO

DEPUTADO (PT-RJ)

selinho_twitter2