Palanque – Um giro pelas campanhas eleitorais
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Palanque – Um giro pelas campanhas eleitorais

Jennifer Gonzales

12 Julho 2010 | 21h06

Luciana Nunes Leal

BRASIL1

Desconforto generalizado

Com tantos aliados na mira das procuradorias eleitorais, por causa da Lei da Ficha Limpa, os candidatos à Presidência dirão que esse é um assunto da Justiça. Manterão o apoio à moralização da política e continuarão em campanha ao lado daqueles que poderão ter os registros cassados, com o argumento de que cada caso é um caso e não há decisão final. Nos partidos, o desconforto é geral. Resta aos dirigentes alertar para o risco de que injustiças sejam cometidas.

BRASIL2

O pastor entra em campo

Depois da garantia de Dilma Rousseff de não levantar bandeiras como descriminalização do aborto, o deputado do PR Pastor Manoel Ferreira organiza encontro da petista com líderes evangélicos, dia 24. Ele preside uma das maiores denominações da Assembleia de Deus, o Ministério de Madureira. O site da instituição fez enquete sobre “casamento entre homossexuais”. De 874 votantes, 96% foram contra e 4%, a favor.

MINAS GERAIS

Promessa à distância

O ex-presidente Itamar Franco (PPS) começa na próxima semana a rodar o Estado, ao lado do ex-governador Aécio Neves (PSDB). Os dois são candidatos ao Senado na chapa do governador Antonio Anastasia. Embora Itamar tenha dito que sua candidatura está em primeiro lugar, os amigos garantem que ele não vai ignorar a disputa presidencial e pedirá, sim, votos para o tucano José Serra. Só que nesta segunda-feira, 12, Serra fez campanha em Belo Horizonte. Itamar estava em Juiz de Fora.

PARÁ

Aposta única para o Senado

Apesar do risco de esbarrar na Lei da Ficha Limpa, o petista Paulo Rocha, que renunciou ao cargo de deputado no escândalo do mensalão, é candidato único ao Senado na coligação da governadora Ana Júlia (PT). Dos 14 partidos aliados, três – PV, PSB e PTB – lançaram candidatos avulsos à segunda vaga e aguardam a Justiça. A procuradoria eleitoral tenta impugnar o registro de Rocha. Sem plano B, o PT paraense vai recorrer e tocará a campanha até o julgamento final.

PARANÁ

Visita pós-crise

Encerrada a novela da candidatura de Osmar Dias (PDT) ao governo, com apoio do PT, Dilma Rousseff visitará o Estado na sexta-feira. Irmão de Osmar, o senador tucano Álvaro Dias, quase vice de Serra, ficará neutro na disputa estadual.

RIO

Fome de votos

Marina Silva (PV) vai nesta terça-feira, 12, ao tradicional almoço com empresários na Associação Comercial. Dilma Rousseff (PT) estará no mesmo encontro, dia 22. José Serra já foi, em maio.

IRMÃO CAMARADA

“Há uma razão ético-familiar para que não apoie o candidato do meu partido ao governo (Beto Richa). É uma coisa atípica. Ficarei equidistante.”

ÁLVARO DIAS

SENADOR (PSDB-PR)

selinho_twitter