As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pagot pede demissão do Dnit

Lilian Venturini

25 de julho de 2011 | 12h24

Rosana de Cássia e Vannildo Mendes, de O Estado de S. Paulo

O Ministério dos Transportes confirmou, por meio de nota, a saída de Luiz Antônio Pagot do cargo de diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Segundo a nota, Pagot já solicitou à presidente Dilma Rousseff sua exoneração do cargo.

Nesta manhã desta segunda-feira, 25, Pagot comunicou a assessores e funcionários do órgão que decidiu entregar o cargo, que ocupava desde 2006, em consequência da crise no Ministério dos Transportes.

O ex-diretor agradeceu a colaboração de todos e disse que o pedido de demissão é irrevogável, mas não entrou em detalhes sobre a crise. A expectativa é de que ele entregue ainda nesta segunda o pedido formal de demissão à Casa Civil da Presidência da República.

Desde o início do mês, quando estourou na imprensa o escândalo envolvendo denúncias de corrupção, cobrança de propina e tráfego de influência no Ministério dos Transportes e principais estatais (Dnit e Valec) a crise provocou a demissão do ministro Alfredo Nascimento, do diretor da Valec, José Francisco das Neves e outros 15 integrantes da área. Antes de comunicar o afastamento do cargo, Pagot entrou de férias que se encerrariam em 6 de agosto, mas antecipou o prazo com o pedido de demissão.

Veja a íntegra da nota do ministério:

“O Ministro de Estado dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, recebeu na manhã de hoje o pedido de cancelamento das férias do diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Luiz Antônio Pagot, programadas para o período de 25 de julho a 04 de agosto.

No mesmo documento, o diretor comunicou que já solicitou à Presidenta da República sua exoneração do cargo de Diretor-Geral do DNIT”

Tudo o que sabemos sobre:

crise dos TransportesDNITpagot

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.