As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

“PSDB indicou Álvaro Dias, mas DEM reivindica a vice”, afirma Sérgio Guerra

Camila Tuchlinski

25 de junho de 2010 | 18h02

Por Rodrigo Alvares, Carol Pires e Fátima Lessa

Atualizado às 18h22

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), confirmou, há pouco, ao Estado, que o partido indicou o nome do senador Álvaro Dias (PR) para ser o candidato a vice-presidente na chapa de José Serra. Guerra, disse, porém, que a escolha ainda não está fechada porque o DEM, principal partido aliado dos tucanos, ainda reivindica a indicação do candidato a vice.

“O PSDB sugeriu o nome de Álvaro Dias, mas o DEM está reivindicando a vice”, disse o senador Sérgio Guerra (PSDB-PE) ao Radar Político. Questionado sobre a influência que a aprovação de PPS e PTB ao nome de Álvaro Dias, o presidente do PSDB disse que a decisão “não é uma questão de aritimética, é política”.

Sobre a insistência do DEM em compor a chapa, Guerra disse que “isso para ser tratado com eles [DEM]”. Caso não aceitem a indicação de Álvaro Dias para ser vice, o tucano afirmou não saber quem será o candidato. “A partir daí, não sei nada”.

De acordo com a assessoria de Álvaro Dias, o senador paranaense mantém que recebeu o convite, mas só vai se manifestar depois de ter seu nome oficializado por todos os partidos da coligação. O presidente tucano contou ainda que o nome de Álvaro Dias foi escolhido pelo partido nesta sexta-feira.

O senador paranaense estava em Brasília, pela manhã, quando foi chamado, às pressas, para ir à capital paulista conversar com a cúpula tucana.  Depois da conversa, Sérgio Guerra foi ao Rio de Janeiro se encontrar com Rodrigo Maia e Álvaro Dias partiu para Cuiabá (MT), onde haverá, neste sábado, a convenção regional do PSDB.

“Álvaro dias é um excelente parlamentar, se comunica muito bem, pacifica o partido e tem estatura política para o cargo”, disse Guerra ao resumir quais os critérios usados na escolha do senador paranaense.

Segundo Sérgio Guerra, a influência que o senador teria na costura das alianças no Paraná também pesou na decisão de escolhê-lo para ser o candidato a vice-presidente. Lá, o irmão de Álvaro Dias, o senador Osmar Dias (PDT), negociar ser candidato ao governo ao lado do PT e do PMDB, mas admite abrir mão da disputa pelo governo e concorrer ao Senado ao lado dos tucanos porque o acordo na família é de que os irmãos nunca estejam em lados opostos.

Convite “irrecusável”

Em Cuiabá, Álvaro Dias confirmou que foi convidado para ser o vice na chapa de Serra. Segundo ele, foi um convite “irrecusável” e que o PPS e PTB já teriam aceito a indicação do seu nome. O único partido que ainda não havia confirmado até ele sair de São Paulo, era o DEM, mas o senador acredita que não haverá problema.

“O convite foi feito e aceitei com muita honra, mas tudo vai depender da convenção dos outros partidos”. O senador está em Cuiabá para participar da convenção estadual do PSDB, neste sábado, às 8 horas. O evento vai homologar a candidatura do Wilson Santos ao governo do Estado e a candidatura do Antero Paes de Barros, ao senado e demais candidatura s proporcionais junto com o DEM e PTB.

Tudo o que sabemos sobre:

Álvaro DiasDEMPSDBSérgio GuerraSerravice

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: