No Twitter, Skaf acusa Alckmin de distorcer lucro de concessionárias
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

No Twitter, Skaf acusa Alckmin de distorcer lucro de concessionárias

Camila Tuchlinski

13 de agosto de 2010 | 18h28

Rodrigo Alvares

O candidato do PSB ao governo de São Paulo, Paulo Skaf, usou o seu perfil no Twitter para voltar a acusar o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) de ter distorcido os dados a respeito dos lucros das concessionárias de pedágios no Estado durante o debate na TV Bandeirantes, na última quinta-feira.

“A taxa interna de retorno das últimas concessões foi de 8%. Das mais baixas do país”, disse o tucano. A assessoria  de Skaf respondeu à declaração nesta sexta-feira com um balanço das empresas em 2009 e também da CVM (Comissão de Valores Mobiliários). “No debate de ontem, o abusivo preço dos pedágios em SP gerou polêmica e desinformação. Na defensiva, o candidato tucano distorceu os fatos.”

Além das informações (veja imagem abaixo), a assessoria de Skaf repassou dados referente aos lucros das concessionárias à reportagem. De acordo com esses dados, em 2009 a Autoban teve lucro de 70,7% sobre cada real investido; a Ecovias de 55,3%;  Renovias – 80,1%; Centrovias – 45,7%; Viaoeste – 42,4%. Ainda de acordo com a assessoria, quase todas as concessionárias estaduais estão com lucros acima de 8% – apenas uma concessão, Rota das Bandeiras, teria tido prejuízo.

skaf2

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: