As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

No rádio, Lula diz que eleição de Dilma é uma ‘vitória do bom senso’ do povo brasileiro

Bruno Siffredi

08 de novembro de 2010 | 11h13

No programa de rádio “Café com o presidente”, que voltou a ser transmitido nesta segunda-feira, 8, após um intervalo de quase três meses devido à campanha eleitoral, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o resultado das urnas indicou que “o povo quer avançar mais” e que a eleição de Dilma Rousseff (PT) é uma “vitória do bom senso da maioria do povo brasileiro”.

“Eu acho que o Brasil que sai das urnas é o Brasil que a maioria do povo desejou que tenha continuidade. É a maioria de um povo que usufruiu das políticas públicas determinadas, durante oito anos, pelo nosso governo, e que resultou em uma melhoria geral da qualidade de vida das pessoas”, disse.

Segundo Lula, “todo mundo tem consciência” de que no seu governo não houve “nenhum segmento da sociedade que não ganhou”. “Os empresários ganharam, os trabalhadores ganharam, os mais pobres ganharam, os trabalhadores rurais ganharam. Eu acho que a sociedade inteira ganhou.”

“O resultado das eleições é que o povo quer avançar mais, e avançar mais significou eleger a Dilma Rousseff presidenta da República”, disse Lula. “Foi uma vitória do bom senso da maioria do povo brasileiro. O povo brasileiro terá uma belíssima surpresa com o mandato da nossa companheira.”

Questionado se será possível superar o clima de confronto vivido entre governo e oposição durante a campanha eleitoral, Lula disse que espera uma atuação “civilizada” dos adversários políticos nos próximos quatro anos. “(A oposição) faz parte da consolidação do processo democrático. O que é importante é que a oposição seja feita de forma civilizada, de forma a fazer uma política madura em que o que vale agora é o Brasil.”

Ouça a íntegra do programa “Café com o presidente” desta segunda-feira:

Áudio

Tudo o que sabemos sobre:

Café com o PresidenteDilmaLularádio

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.