As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Férias, só em novembro’, diz Serra em comício final

Armando Fávaro

29 de setembro de 2010 | 22h04

André Mascarenhas

comicio_serra_robson_fernandjes_ae_29092010_480.jpg

Serra ao lado de Afif Domingos, Geraldo Alckmin e Aloysio Nunes Ferreira

Reunido com políticos do PSDB, autoridades do Estado de São Paulo, assessores e militantes tucanos em uma casa de shows da Mooca, na zona leste de São Paulo, o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, disse estar confiante de irá ao segundo turno e prometeu unidade no partido para elegê-lo. “Eu estou no palanque da unidade. É uma unidade que eu não fiz sozinho não, mas que eu ajudei a construir. É uma unidade muito forte”, discursou durante o evento de encerramento de sua campanha.

Veja também:

Serra: reforma da Previdência deve mudar idade mínima

Serra esclarece que revisão seria para novos servidores

Segundo o tucano, a determinação do partido agora é de que seus correligionários apenas tirem férias em novembro, após o segundo turno. “É evidente que pessoas que trabalharam pelas suas campanhas poderão ajudar muito na campanha nacional. A determinação que eu gostaria que o Sergio Guerra (presidente nacional do PSDB) desse ao partido é de que ninguém viaje de férias depois da eleição, depois do primeiro turno”, disse o candidato. “Segunda feira, nenhum eleito ou não eleito vai descansar. Só vamos tirar férias em novembro”, disse.

Antes de Serra, discursaram os candidatos do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, e ao Senado, Aloysio Nunes Ferreira. Ambos pediram votos para o colega, que retribuiu procurando mostrar unidade na chapa tucana em São Paulo. “Serra conte conosco, 24 horas, no primeiro e segundo turno”, discursou Alckmin. “Que uma luz se acenda na consciência de cada brasileiro”, concluiu.

Balanço. Em coletiva de imprensa ao chegar ao evento, o tucano fez um rápido balanço da reta final de sua campanha. Ao ser questionado sobre eventuais erros, Serra afirmou que trabalha com a “massa de conhecimento” de que dispõe. “Neste sentido, eu não fiz nada errado”, disse. “Agora, se você pudesse voltar para trás, tiraria dez em todas as provas, escolheria os dias corretos para tirar férias…”, ponderou. E emendou, em tom de brincadeira, ao ser pressionado por uma repórter sobre eventuais erros na campanha: “Trataria você melhor.”

O evento desta noite reuniu candidatos do PSDB, autoridades e antigas lideranças do partido, como o ex-ministro Trabalho e da Previdência Social Almino Afonso. Também compareceram militantes do PSDB e de partidos aliados, assim como equipes contratadas para balançar bandeiras das siglas. A interação entre o tucanato e suas bases, no entanto, ficou restrita aos discursos, já que os aliados de Serra se concentraram a maior parte do tempo numa área VIP restrita aos convidados.

Nostalgia. Ao discursar, Serra lembrou sua infância na Mooca, bairro em que o evento foi realizado. “Esse nosso comício é muito especial pra mim”, disse. “Em primeiro lugar porque acontece aqui na Mooca, perto dos lugares em que eu cresci e de onde, até hoje, vive minha família.”

Nostálgico, o candidato demonstrou bom humor, e não se incomodou com as vaias que recebeu ao fazer uma piada com o time do atual governador de São Paulo, Alberto Golman. O assunto veio quando candidato elogiava o multiculturalismo de São Paulo, onde, segundo ele, italianos se misturavam com portugueses e judeus. “O Goldman diz que morou no Braz. Só sei que ele errou quando foi morar no Bom Retiro e virou corintiano”, brincou, numa referência à origem judaica do seu ex-vice. Ao que os corintianos chiassem, serra corrigiu. “Não? Então ele acertou. Hoje eu topo qualquer coisa.” 

O evento desta noite reuniu candidatos do PSDB, autoridades e antigas lideranças do partido, como o ex-ministro Trabalho e da Previdência Social Almino Afonso. Também compareceram militantes do PSDB e de partidos aliados, assim como equipes contratadas para balançar bandeiras das siglas. A interação entre o tucanato e suas bases, no entanto, ficou restrita aos discursos, já que os aliados de Serra se concentraram a maior parte do tempo numa área VIP restrita aos convidados.

Nostalgia. Ao discursar, Serra lembrou sua infância na Mooca, bairro em que o evento foi realizado. “Esse nosso comício é muito especial pra mim”, disse. “Em primeiro lugar porque acontece aqui na Mooca, perto dos lugares em que eu cresci e de onde, até hoje, vive minha família.”

Nostálgico, o candidato demonstrou bom humor, e não se incomodou com as vaias que recebeu ao fazer uma piada com o time do atual governador de São Paulo, Alberto Golman. O assunto veio quando candidato elogiava o multiculturalismo de São Paulo, onde, segundo ele, italianos se misturavam com portugueses e judeus. “O Goldman diz que morou no Braz. Só sei que ele errou quando foi morar no Bom Retiro e virou corintiano”, brincou, numa referência à origem judaica do seu ex-vice. Ao que os corintianos chiassem, serra corrigiu. “Não? Então ele acertou. Hoje eu topo qualquer coisa.”

Tudo o que sabemos sobre:

eleições 2010José SerraPSDB

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.