As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Não há perspectiva de entendimento com o DEM’, diz tucano de Sergipe

Armando Fávaro

28 de junho de 2010 | 20h41

Por André Mascarenhas

Num movimento que deve complicar ainda mais a relação do DEM com o PSDB no plano nacional, o candidato ao Senado pelo PSDB em Sergipe, deputado Albano Franco, descartou hoje qualquer possibilidade de apoiar a candidatura de João Alves Filho (DEM) ao governo do Estado. Embora tenha participado da convenção que homologou o pastor Ariovaldo José como candidato ao governo pelo PSDC, o deputado tucano garantiu que o PSDB irá lançar seu nome em uma chapa “independente”.

A aliança entre Albano Franco e João Alves era dada como fundamental para esvaziar as críticas de líderes do DEM à decisão do PSDB de anunciar o senador Álvaro Dias, do PSDB do Paraná, como candidato a vice-presidente na chapa de José Serra. Na sexta-feira, o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra, esteve em Aracaju para tentar uma aproximação entre os dois. Não houve acordo.

“Temos razões e motivos para não fazer a aliança”, afirmou Albano Franco, que hoje conversou mais duas vezes com Guerra, por telefone. Segundo ele, os dois partidos estiveram próximos de um acordo no Estado, “mas houve declarações violentas, que atingiram minha honra”, justificou.

O deputado sergipano descartou, entretanto, que a recusa em apoiar João Alves possa resultar em uma intervenção da direção nacional do PSDB no Estado. “Até agora não houve ameaça, e eu duvido que haja. Não há razão. Eu confio na história de José Serra e de Sérgio Guerra”, afirmou. “Sou candidato ao Senado porque o Sérgio Guerra me pediu”, garantiu.

Albano Franco descarta que sua posição possa atingir a aliança nacional entre os dois partidos. “Somos um Estado tão pequeno. Essa aliança não vai ser prejudicada por causa de Sergipe”, amenizou.

Ele admitiu, no entanto, haver desconforto com sua recusa em se aliar ao DEM. “Ele (Guerra) não concorda com a minha posição, mas entende”, disse.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: