As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mulher acusa presidente do PV de não pagar aluguéis do comitê de campanha

Camila Tuchlinski

07 de agosto de 2010 | 17h50

Moacir Assunção

O candidato a deputado federal e presidente nacional do PV, José Luiz de França Penna, teve uma surpresa desagradável na festa de inauguração do seu comitê de campanha em festa que contou com a presença de personalidades como o prefeito Gilberto Kassab (DEM) e o candidato a senador pelo seu partido, Ricardo Young. É que a dona de casa Eunice Vicentina Rago, de 73 anos, apareceu para cobrar cerca de R$ 100 mil entre aluguéis e o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) da casa na Avenida Rebouças, 1.700, onde funciona o  comitê.

O imóvel está locado em nome do presidente municipal do partido, o advogado Carlos Galeão Camacho. De acordo com Eunice, os aluguéis, no valor de R$ 6,5 mil mensais, não são pagos desde junho, assim como quatro parcelas no valor de R$ 15 mil de abono locatício e o IPTU no valor de R$ 10 mil. Mesmo quando era pago o aluguel, segundo ela, o dinheiro saía sempre  em valores parciais e  atrasado.

“Moro com minha filha, que me sustenta, e não tenho nenhuma fonte de renda, a não ser a casa. Estou passando dificuldades por falta do dinheiro do aluguel”, reclamou a dona de casa. Ela entrou na Justiça, na semana passada, com o pedido de despejo dos locatários da casa, em uma região nobre da cidade. Ela disse que se cansou de reclamar com o locatário, sem sucesso, e até fez uma novena para Santo Expedito, famoso como o santo das causas urgentes, com o objetivo de conseguir receber os valores devidos.

Resposta. Penna disse não ter conhecimento de valores devidos de aluguéis pela ampla residência. Em sua opinião, a locadora não terá sucesso em um pedido de despejo.  “Essa casa era do meu editor, Waldemar Marchetti, o Corisco. Ele já havia me cedido a residência desde que fui candidato a vereador”, afirmou.

Segundo o candidato, vereador em São Paulo, Eunice surgiu na história depois, em decorrência da partilha de bens do casal. A dona da casa afirmou que a casa lhe pertence e não ao ex-marido, tanto que o contrato de locação foi celebrado em seu nome.

selinho_twitter2

Tudo o que sabemos sobre:

comitêPennaPV

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.