As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

MP-SP acolhe representação do PT contra Serra por crime contra a honra

Camila Tuchlinski

22 de setembro de 2010 | 12h13

Da Redação

O Ministério Público do Estado de São Paulo acolheu nesta quarta-feira a representação do PT contra o presidenciável tucano José Serra (PSDB) por crime contra a honra. No dia 26 de agosto, durante discurso na sede da Abimaq, em São Paulo, Serra acusou o PT pela quebra do sigilo fiscal do vice-presidente do seu partido, Eduardo Jorge Caldas e declarou a jornais que Dilma e o PT praticavam “crime contra a democracia”, “jogo sujo”, “espionagem” e “chantagem”.

No dia 30 de agosto de 2010 o presidente do PT, José Eduardo Dutra, requereu ao Ministério Público Eleitoral a investigação do candidato tucano. O pedido do PT tinha como objetivo “assegurar a lisura na campanha eleitoral e prevenir comportamentos semelhantes, que maculem a transparência do pleito eleitoral e submetam o eleitor a informações inverídicas, distorcidas, turbando sua liberdade de escolha e o exercício da democracia”.

O promotor da 259ª Zona Eleitoral de São Paulo requisitou a instauração de inquérito policial para ouvir o candidato José Serra e investigar a prática de crimes contra a honra que teriam sido praticados por ele contra a candidata Dilma Roussef e o PT.

O promotor entendeu necessário ouvir José Serra para confirmar as frases a ele atribuídas e juntar provas de suas alegações. Para isso, requereu a abertura de inquérito policial. O processo ainda passará pelo Juiz Eleitoral e depois vai para a Policia Federal, órgão competente para investigar os fatos.

Tudo o que sabemos sobre:

MPPTSerra

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.