As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ministro do Turismo diz não saber ‘se houve deslizes ou irregularidades’ na pasta

Bruno Siffredi

17 de agosto de 2011 | 17h23

estadão.com.br

O ministro do Turismo, Pedro Novais, admitiu a possibilidade de que tenham ocorrido desvios de recursos nos convênios do ministério,  em audiência nesta quarta-feira, 17, na Câmara dos Deputados. “Se houve deslizes ou irregularidades, eu não sei, mas admito que algo pode ter havido. De qualquer maneira, isso está sendo corrigido e será eliminado”, afirmou.

Novais participa de audiência promovida pelas comissões e Defesa do Consumidor, de Fiscalização Financeira e Controle; e de Turismo e Desporto. O debate visa esclarecer as denúncias reveladas pela Operação Voucher da Polícia Federal, que levou à prisão de 36 pessoas ligadas à desvios em convênio com ONGs.

Novais afirmou não ter sofrido “nenhum tipo de pressão” para nomear o agora ex-secretário-executivo do Turismo, Frederico da Silva Costa, que foi preso pela PF e enviou sua carta de demissão ao ministro na terça-feira, 16. “O Frederico é conhecido no Congresso. Ele entrou no Turismo na gestão do ex-ministro Mares Guia e atendeu a vários parlamentares desde 2003. É um dos funcionários mais conceituados, tanto é que fez carreira no órgão. A escolha dele para o cargo foi feita por mim, até porque ele era a pessoa disponível que mais conhecia os trâmites da relação entre o Turismo e o Planejamento”, declarou.

Segundo o ministro, sete funcionários do órgão estão afastados de suas funções desde a semana passada. “Eles não voltarão enquanto a sua honorabilidade não for comprovada”, disse. Com informações da Agência Câmara

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.