As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Melhora o estado de saúde de Heloísa Helena

Bruno Siffredi

31 de agosto de 2011 | 16h25

Ricardo Rodrigues, correspondente de ‘Estado’ em Maceió

A vereadora por Maceió e ex-senadora Heloísa Helena (PSOL) continua internada no Hospital Geral do Estado (HGE), onde deu entrada na noite de terça-feira, 30, por dores no peito, tontura e pressão alta. No início da tarde desta quarta-feira, 31, ela foi transferida da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para a Unidade de Dor Torácica (UDT). A paciente foi submetida a exames de sangue, eletrocardiograma e tomografia computadorizada.

De acordo com a secretaria estadual da Saúde, a equipe médica do HGE transferiu a paciente para a UDT, responsável pelo atendimento de pacientes com problemas no coração, “por acreditar ser importante para a saúde da vereadora ficar em observação médica”. Durante a tarde desta quarta-feira, novos exames seriam realizados na paciente.

Funcionários do HGE contaram que, quando chegou ao hospital, Heloísa ficou na Área Vermelha, mais foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) devido ao assédio de pacientes, visitantes e servidores do hospital. Mas a transferência da vereadora causou divergências entre o movimento sindical e a direção da unidade, pois, segundo funcionários, havia pacientes que aguardando há mais tempo transferência da área vermelha para a UTI do hospital.

A diretora de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores da Previdência Social (Sindprev), Olga Chagas, informou que o movimento sindical entende que ela não deveria ter sido transferida para a UTI. “O estado de saúde dela era estável, não precisava ser levada para a UTI, ocupando um leito que poderia ser utilizado por um paciente em estado mais grave”, declarou Olga, em entrevista à imprensa, pela manhã.

Segundo a sindicalista, o leito em que Heloísa estava tinha balão de oxigênio, bomba de fusão, desfibrilador, monitor cardíaco, tubo respirador e sonda. “Hoje pela manhã conversei com Heloísa e ela estava bem, conversando, estável. Uma paciente nessa situação não apresenta quadro clínico para internamento na UTI”, afirmou Olga Chagas. “Ela foi provavelmente privilegiada por conta de sua representação política”, acrescentou.

Uma funcionária do centro cirúrgico que preferiu não se identificar afirmou que havia um paciente em estado grave na sala de recuperação do centro cirúrgico a espera de leito na UTI. O ex-companheiro de Heloísa e ex-candidato ao governo de Alagoas pelo PSOL, Mário Agra, esteve nesta manhã no hospital e se disse estar tranquilo com o estado de saúde da vereadora. “Heloísa veio para o HGE porque não tem plano de saúde, mas está sendo muito bem cuidada”, declarou Agra.

Tudo o que sabemos sobre:

AlagoasHeloísa HelenaMaceióSaúde

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.