As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fórum Social Mundial: Lula diz que vida de ex-presidente é melhor do que a de presidente

Jennifer Gonzales

07 de fevereiro de 2011 | 10h38

Andrei Netto, enviado especial a Dacar

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou no final da manhã desta segunda-feira, em Dacar, no Senegal, que a vida de ex-presidente é melhor do que a vida de presidente. A declaração foi dada ao chefe de Estado do Senegal, Abdoulaye Wade, durante visita realizada às margens da 11a edição do Fórum Social Mundial, do qual o brasileiro será a grande atração nesta segunda-feira.

No Senegal, Lula encontra socialista e pede mulher na presidência da França

Lula e Wade se encontraram às 10h30min, no palácio presidencial em Dacar. O ex-presidente foi recebido com honras de chefe de Estado: carro escoltado por batedores, tapete vermelho, guarda presidencial e anfitrião à porta. Ao se encontrarem, os dois líderes políticos trocaram gentilezas.

Lula perguntou a Wade sobre sua saúde, e ouviu como resposta um elogio: “Comigo tudo bem. E você parece em forma”, disse o senegalês. O brasileiro, então respondeu, bem humorado: “É que a vida de ex-presidente é melhor do que a vida de presidente”.

Ambos caminharam então em direção a uma sala privativa onde posaram para fotógrafos e cinegrafistas, enquanto trocavam amabilidades. Wade afirmou estar feliz em reencontrar Lula, que mostrou satisfeito. Então, o senegalês pediu informações ao brasileiro sobre como está o novo governo no Brasil. “Nossa presidente está bem e ela vai fazer um bom trabalho, um governo exitoso”, disse Lula, antecipando: “Acho que ela vai fazer uma visita ao Senegal”.

Ao término do encontro, que teve duração entre 20 e 30 minutos, Lula recebeu de Wade como presente uma estatueta com a reprodução de um Kora, um instrumento típico do Senegal. O chefe de Estado africano explicou o funcionamento do instrumento e contou uma lenda que lhe é atribuída. “Pela tradição, a corda central não pode quebrar. Se quebrar, quer dizer que o músico vai morrer. E o músico acredita”, disse Wade. A seguir, o senegalês brincou afirmando que hoje a corda é de nylon, e não quebra mais. Lula ouviu a explicação com atenção, mas limitou-se a afirmar que o instrumento se parecia com uma mistura de harpa e violoncelo.

A conversa entre os dois então prosseguiu mais alguns instantes longe dos ouvidos da imprensa. Ao término da reunião, Lula dispensou o protocolo da presidência senegalesa, que havia previsto a realização de uma breve entrevista. O ex-presidente segue sem falar aos jornalistas.

Ainda nesta segunda, Lula discursará na 11a edição do FSM, em debate a ser realizado na Praça da Memória Africana, junto à orla de Dacar, com participação de Jean Ping, secretário-geral da Comissão da União Africana. O evento é esperado pela organização do fórum e ocorrerá em uma região nova da cidade, inaugurada em 2009 e no qual se situam dois panteões destinados a homenagear os heróis da ciência e da cultura africanas. Lula retorna à noite a São Paulo.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.