As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Líder do PR diz que Garotinho está falando ‘de maneira individual’ ao ameaçar governo

Jennifer Gonzales

01 de junho de 2011 | 13h39

Tânia Monteiro, de ‘O Estado de S.Paulo’

O líder do PR na Câmara, Lincoln Portela (MG), disse nesta quarta-feira, 1º, que o deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) está falando “de maneira individual” ao fazer novas ameaças ao governo de convocação do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, e que sua posição não passa pelo partido.

Garotinho ontem fez novas ameaças de apoiar a convocação de Palocci ao Congresso, caso o governo não apoie a aprovação da emenda que eleva o piso dos policiais e bombeiros. Questionado se o partido pode punir o deputado por isso, Lincoln Portela lembrou que Garotinho é secretário geral do PR, há muitas lideranças viajando e ele prefere resolver esse tipo de situação com conversa.

“É um absurdo convocar o ministro para fazer barganha. Se atende a barganha, o ministro é honesto. Se não atende, é suspeito. Não gosto disso”, declarou o deputado, que participou da reunião do conselho político com a presidente Dilma Rousseff, onde o assunto, segundo ele, foi apenas a apresentação do projeto Brasil sem Miséria.

Sobre a convocação do ministro Palocci, aprovada nesta quarta, 1º, pela comissão de Agricultura da Câmara, o deputado lembrou que o Congresso tem prerrogativa para agir dessa forma e que será uma oportunidade para trazer esclarecimentos.

Questionado pelos jornalistas se julgava ser natural um deputado ter seu patrimônio crescido 20 vezes durante o período de exercício de um mandato, Lincoln disse: “não parei para fazer uma análise do caso. Não estou defendendo esse tipo de atitude. Pode ser até que, depois que eu analise, eu mude de ideia, independente de questões políticas. Mas as empresas hoje têm todas as condições para crescerem”.

Sobre o desgaste do governo e do ministro Palocci diante das denúncias, o líder do PR disse que “qualquer notícia que toca na vida de um ministro traz desconforto”. Ele disse que não há nenhuma crise entre governo e a base.

O ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, evitou comentar a convocação do ministro Palocci pela comissão de Agricultura da Câmara.

Tudo o que sabemos sobre:

Antonio PalocciCongressoGarotinhoPR

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: