As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Julgamento dos acusados de matar Celso Daniel começa

Redação

10 de maio de 2012 | 09h31

SÃO PAULO – O julgamento de cinco réus acusados de participar do assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, em janeiro de 2002 começa nesta quinta-feira, 10. Serão ouvidas 13 testemunhas, todas de defesa – entre elas, dois delegados da Polícia Civil, de acordo com informações da assessoria do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

A sessão será presidida pelo juiz Antonio Augusto Galvão de França Hristov no fórum de Itapecerica da Serra, na Granda São Paulo, e tem início às 9h30. O TJ-SP informou que acompanhará as sessões por meio de sua conta no Twitter (@TJSPoficial).

Os réus Itamar Messias dos Santos Filho, Ivan Rodrigues da Silva, Rodolfo Rodrigo dos Santos Oliveira, José Edison da Silva e Elcyd Oliveira Brito respondem pelo crime de homicídio duplamente qualificado e podem pegar até 30 anos de prisão. A previsão é de que o julgamento dure dois dias.

Irmão da vítima

Em entrevista à Rádio Estadão ESPN, o irmão de Celso Daniel, Bruno Daniel, disse esperar que os réus sejam condenados pelo assassinato do prefeito de Santo André, executado após ser vítima de um sequestro há dez anos.

“A expectativa é que as teses do Ministério Público sejam novamente aceitas e que isso resulte em condenações conforme a lei”, disse Bruno. Para o Ministério, Celso Daniel tentou acabar com um esquema de corrupção na prefeitura da cidade do ABC Paulista e foi assassinado por pessoas envolvidas no processo.

Bruno também disse que seu irmão, se vivo, provavelmente teria ganhado maior dimensão política. “Imagino que ele estaria ocupando algum posto de destaque no governo federal. Quando foi assassinado, ele era coordenador para a elaboração do programa de governo do ex-presidente Lula”, concluiu. Bruno acompanhará o julgamento no Fórum de Itapecerica.

Acompanhe aqui as informações do julgamento ao longo dos próximos dias.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.