As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ignorado por Serra, Joaquim Roriz ataca Dilma

Camila Tuchlinski

13 de setembro de 2010 | 17h31

Carol Pires

Candidato ao governo do Distrito Federal na coligação que apoia José Serra (PSDB) para presidente, Joaquim Roriz (PSC) tem sido ignorado pelo presidenciável tucano. Apesar de ter visitado Brasília pelo menos cinco vezes desde o início oficial da campanha (uma dessas vezes nesta segunda-feira), Serra nunca subiu no próprio palanque, que tem Roriz e a candidata ao Senado, Maria de Lourdes Abadia (PSDB), barrados pela Ficha Limpa.

Em entrevista coletiva esta manhã, quando participou de sabatina no Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Serra se esquivou de responder o motivo de estar evitando Joaquim Roriz. “É uma atribuição sua dizer que eu evitei”, respondeu Serra à repórter.

Roriz responde à ausência de Serra na campanha brasiliense com o mesmo silêncio: não pede votos para Serra em comícios. Roriz comentou a presença de Serra hoje em Brasília com desdém: “Não sei nem se ele está pedindo voto aqui em Brasília”.

Ainda assim, ao desfiar críticas ao PT local e nacional, Roriz ajuda indiretamente o presidenciável tucano. Isso porque ele não fala bem de Serra, mas fala mal da adversária dele, Dilma Rousseff.

Roriz costuma comparar Dilma a Fidel Castro para afirmar que se a petista for eleita presidente implantará o autoritarismo e o socialismo no Brasil. No último sábado, em comício, Roriz disse que duas correntes disputam a presidência: “Uma é a do bem e a outra, a do mal, dos encardidos”. Dilma, segundo ele, é faz parte da segunda ala.

Tudo o que sabemos sobre:

DilmaRorizSerra

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.