As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Homem que provocou Serra com livro é dirigente do PT

Bruno Siffredi

31 de julho de 2012 | 21h14

Bruno Boghossian, de O Estado de S.Paulo

O homem que pediu um autógrafo de José Serra (PSDB) em uma cópia do livro A Privataria Tucana é dirigente do PT. Rogério Cruz, secretário estadual de juventude petista, abordou Serra em um restaurante popular, durante um evento da campanha do tucano à Prefeitura de São Paulo.

Serra chegou a colocar os óculos para dar o autógrafo. Depois que o homem tirou o livro de uma sacola amarela e mostrou a capa do exemplar, o candidato virou as costas, guardou os óculos no bolso da camisa e se afastou, irritado. O homem ergueu o livro e exibiu o exemplar por mais alguns segundos. Em seguida, deixou o local rapidamente.

“Não foi nada organizado. Eu moro ali e percebi que o Serra faria campanha no restaurante”, disse Cruz, horas depois.

Há cerca de duas semanas, integrantes da juventude do PSDB se apresentaram como estudantes de universidades federais para fazer um protesto contra o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. Na ocasião, o presidente municipal petista chamou a manifestação dos tucanos de “fascista”.

O livro levado pelo dirigente petista narra o suposto desvio de recursos das privatizações de empresas estatais durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), quando Serra era ministro do Planejamento. O tucano já chamou o livro de “lixo”, afirmou que as acusações são falsas e processou o autor, o jornalista Amaury Ribeiro.

Tudo o que sabemos sobre:

Eleição 2012José Serra

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.