As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Haddad lamenta ausência em exibição de propaganda na Globo

Redação

15 de maio de 2012 | 20h10

Ricardo Chapola, do Estadão.com.br

O pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo lamentou nesta terça-feira, 15, o fato de ter ficado de fora da exibição das propagandas na Rede Globo. “É uma pena, mas vou fazer o quê?”, disse sorrindo o petista. As inserções começarão a veicular a partir desta terça, na TV e no rádio em cadeia nacional.

O ex-ministro ficará fora da programação por conta de uma confusão gerada pela direção nacional do PT, que não cumpriu à risca as determinações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quanto aos prazos de entrega das documentações. A regulamentação das inserções deveriam ter sido feitas, segundo o TSE, com 15 dias de antecedência da exibição. O PT enviou os documentos com apenas 6.

O atraso foi o suficinte para que a emissora barrasse a programação do PT com o argumento de estar aplicando a mesma regra a todas as legendas, sem distinção.

Durante o 25º Fórum dos Diretores Municipais da Educação realizado nesta terça, em São Bernardo do Campo (SP), a coordenação do petista sugeriu que o presidente nacional da sigla Rui Falcão fosse questionado sobre as falhas. No evento, compareceram o ministro da Educação Aloizio Mercadante e o prefeito da cidade, também ex-ministro Luiz Marinho (PT). Haddad foi homenageado no fim dos discursos de outras autoridades locais presentes.

Protesto. Ao mesmo tempo e no mesmo local do encontro, professores, liderados pela Central Única de Trabalhadores (CUT), fizeram uma manifestação em protesto pela aprovação do novo estatuto da categoria. Ele foi aprovado em março pelo Congresso da Educação de São Bernardo e, desde então, aguarda para ser encaminhado para a Câmara, procedimento necessário para que entre em vigor.

Não foi por acaso que o protesto ocorreu na mesma data. Organizadores afirmaram que já sabiam tanto do fórum quanto da presença das autoridades.

Haddad, Mercadante e Luiz Marinho driblaram a manifestação, entrando pelos fundos do Congresso.

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.