As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Gurgel diz que divulgação de fotos de presos no Turismo é ‘inaceitável’

Bruno Siffredi

15 de agosto de 2011 | 17h27

Mariângela Gallucci, de O Estado de S.Paulo

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, disse nesta segunda-feira, 15, que é inaceitável a divulgação de fotos dos presos da Operação Voucher da Polícia Federal. No final da semana passada, um jornal do Amapá publicou fotografias dos presos sem camisa e segurando placas de identificação. “É absolutamente inaceitável a exposição de pessoas tal como foi feito. Isso deve ser apurado e os responsáveis devem ser punidos”, disse o procurador, após tomar posse para um segundo mandato de dois anos como chefe do Ministério Público Federal.

“O que tivemos foi uma exagerada exposição das pessoas investigadas. Isso precisa ser investigado para que se defina a responsabilidade pelo acontecido”, completou.

Alegando que estava afastado do cargo de procurador há 15 dias, Gurgel disse que agora “tomará pé” das suspeitas de irregularidades em ministérios. Ele afirmou que há fatos graves divulgados pela imprensa, mas disse ainda não saber se vai pedir a abertura de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar suspeitas de envolvimento de autoridades. “O MP jamais se furtará a processar quem quer que seja e também jamais processará quem quer que seja apenas pela condição de ministro”, garantiu.

‘Abusos, excessos e afrontas’. Mais cedo, na cerimônia de posse  de Gurgel, a presidente, Dilma Rousseff, disse que fará tudo o que estiver ao seu alcance “para coibir abusos, excessos e afrontas à dignidade de qualquer cidadão que venha a ser investigado”.

Tudo o que sabemos sobre:

gurgelPFPGRTurismo

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.