As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Governo Dilma oferece a Chávez possibilidade de se tratar no País

Jennifer Gonzales

06 de julho de 2011 | 18h35

Agência Brasil

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, em conversa com o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, sugeriu que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, faça tratamento para o câncer em hospital brasileiro. O governo Dilma Rousseff ainda não obteve resposta à sua oferta.

Em Brasília, a Embaixada da Venezuela também não se manifestou sobre o convite feito por Patriota a Maduro. Diplomatas que acompanham o assunto informaram que não há decisão sobre o tema. As mensagens mais recentes de Chávez não mencionam a possibilidade de continuar o tratamento aqui no Brasil, nem citam a doença que aflige o presidente venezuelano.

Na segunda-feira, 4, Chávez retornou a Caracas depois de ficar 24 dias internado em Havana, Cuba. No dia 10 de junho, o presidente venezuelano foi submetido a uma cirurgia para a retirada de um abcesso na região pélvica. Em seguida, ele confirmou que estava se tratando de um câncer, mas não há informações oficiais sobre a dimensão da doença.

A última atividade pública de Chávez foi na terça-feira, 5, à noite, quando ele participou de cerimônias em comemoração aos 200 anos de independência da Venezuela. Ele assistiu ao concerto da Sinfónica Juvenil Simón Bolívar. Depois, por uma rede social na internet, Chávez disse que estava emocionado com o talento dos jovens.

As celebrações da data na Venezuela foram abertas ontem, quando Chávez comandou os eventos pela TV, enviado mensagens à população. Usando uniforme militar, o venezuelano agradeceu ao povo pelo apoio que teve e disse que vai vencer a batalha contra o câncer.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.