Governadora do PA tira rádio que criticou PM do ar
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Governadora do PA tira rádio que criticou PM do ar

Ricardo Chapola

21 de agosto de 2010 | 12h37

Estadão.com.br

A Rádio Tabajara FM, do jornalista Carlos Mendes, está fora do ar desde o início da manhã deste sábado. Por volta das 8h30, seis agentes da Polícia Federal e quatro funcionários da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em Belém chegaram à rádio, no bairro da Cremação, e apreenderam o transmissor, a mesa de áudio, três processadores de áudio, uma chave híbrida – que põe no ar os contatos com ouvintes por telefone -, quatro microfones e a antena.

Veja também:

Governadora do PA entra com ação de censura contra rádio do Estado

Segundo o jornalista Carlos Mendes e o advogado Ismael Moraes, que falaram com o blog Espaço Aberto ainda há pouco, não houve qualquer ato de truculência durante a ação. Mas nem os agentes da PF, nem os funcionários da Anatel apresentaram qualquer mandado judicial de busca e apreensão. Nesses casos, os mandados sempre são expedidos pela Justiça Federal, a pedido do Ministério Público Federal.

A uma irmã do jornalista Carlos Mendes, que se encontrava na rádio no momento da apreensão dos equipamentos, os funcionários da Anatel disseram apenas que se tratava de uma “inspeção de rotina”.

Mendes explicou que o processo de legalização da Rádio Tabajara, para funcionar como uma emissora educativa, já está em curso em Brasília. Para tanto, ele criou a Fundação Metrópole, com outorga já concedida pelo Ministério Público do Estado. Os equipamentos apreendidos estão, inclusive, arrolados como parte do patrimônio da Fundação, e não da Rádio Tabajara.

O advogado Ismael Moraes disse que vai representar à Anatel contra a apreensão dos equipamentos. E também ingressará na Justiça Federal com um mandado de segurança, pedindo que a emissora volte a funcionar normalmente. Na ação, o advogado deverá invocar dispositivo constitucional que assegura a liberdade de informação.

A ação da Anatel ocorre um dia depois da Rádio Tabajara ter sido alvo de uma representação da “Frente Acelera Pará”, que apoia a reeleição da governadora Ana Júlia Carepa (PT). A alegação é de que as críticas de Mendes, durante o “Jogo Aberto” – um dos programas de maior audiência da emissora, apresentado aos sábados -, à aquisição de 450 carros pela Polícia Militar do Pará, sem processo licitatório, tinham caráter eleitoral e favoreceriam os adversários da governadora.

O jornalista Carlos Mendes assinou várias reportagens sobre o mesmo assunto no jornal “Diário do Pará”, que pertence ao deputado federal Jader Barbalho, candidato ao Senado pelo PMDB. Mesmo assim, até agora o jornal não foi questionado judicialmente, apenas o jornalista, e assim mesmo na condição de proprietário da Rádio Tabajara.

Mesmo com a apreensão dos equipamentos, Carlos Mendes garantiu ao Espaço Aberto que o programa “Jogo Aberto” de hoje, das 2 às 4 da tarde, irá ao ar, mas apenas pela internet. Não será possível ouvi-lo pelo celular. Para ouvir o programa, basta acessar o site http://www.radiotabajara.com.br, da Rádio Tabajara.

A Frente Popular Acelera Pará, coligação pela reeleição da governadora Ana Júlia Carepa, contesta a acusação de censura. Leia a íntegra da nota.

selinho_twitter2182

Tudo o que sabemos sobre:

censuragovernadora; Pará; críticarádio

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.