As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Eu e Kirchner ficaremos pequenos depois de Dilma e Cristina, diz Lula

Bruno Siffredi

29 de julho de 2011 | 19h12

Vannildo Mendes, de O Estado de S.Paulo

Durante a inauguração da Embaixada da Argentina em Brasília, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi a estrela mais cortejada. Com um discurso bem-humorado, Lula exaltou as presidentes do Brasil, Dilma Rousseff, e da Argentina, Cristina Kirchner. “Como cristão, acredito que haja vida após a morte. E na outra vida, o ex-presidente argentino Nestor Kirchner deve estar pensando: pobre de mim e do Lula porque a Dilma e a Cristina vão fazer história na América Latina e na América do Sul mais do que nós”, disse ele, que participou nesta sexta-feira, 29, pela primeira vez de evento público junto com a presidente Dilma Rousseff desde que deixou o governo.

O ex-presidente disse ainda que a geração dele tem que agradecer a Deus todo dia porque as duas maiores nações da América Latina são presididas por mulheres. “Mulheres especiais, de perfil ideológico claro. Elas sabem para quem estão governando. As duas juntas terão mais força do que eu e o Nestor Kirchner juntos”, avaliou.

Segundo Lula, as duas presidentes – Dilma e Cristina – vão transformar a ordem internacional com atuações firmes. “As duas juntas no G-20 vão mudar a política mundial, a geopolítica do Conselho de Segurança das Nações Unidas”, previu. “As duas, com sua formação e caráter, deixarão pequenos a mim e ao Nestor na América Latina”, completou.

Lula discursou de improviso durante a inauguração da sede própria da Embaixada da Argentina no Brasil. Trata-se de um moderno edifício de 4 mil metros quadrados, projetado desde o governo de Nestor Kirchner, num terreno doado pelo ex-presidente Lula.

Dilma e Cristina descerraram a placa de inauguração do prédio e fizeram discursos pregando o fortalecimento da parceira entre os dois países, que detêm as economias mais fortes da América Latina.

Tudo o que sabemos sobre:

CristinaDilmaKirchnerLula

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.