Envolvido com Carlinhos Cachoeira, Stepan avalia renúncia ao mandato
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Envolvido com Carlinhos Cachoeira, Stepan avalia renúncia ao mandato

Lilian Venturini

04 de abril de 2012 | 10h18

O deputado federal Stepan Nercessian (PPS-RJ) avalia a possibilidade de renunciar ao mandato na Câmara, após a repercussão de seu envolvimento com o empresário Carlos Augusto Ramos, Carlinhos Cachoeira, preso acusado de integrar esquema de jogo ilegal em Goiás. Em entrevista ao O Globo nesta quarta-feira, 4, o deputado e ator afirmou também que pensa em desistir da carreira política.

“Estou analisando com um grupo de amigos do PPS a minha renúncia. Não quero um mandato para me defender”, disse, que admitiu ter recebido R$ 169 mil reais de Cachoeira. Stepan justificou que foi um empréstimo feito às pressas, para quitar um imóvel, mas devolveu a quantia dias depois. O valor restante foi usado para reservar um camarote, no Sambódromo, no Carnaval deste ano. “Não sei se terei a cara de pau de pedir votos novamente para as pessoas. Os meus eleitores e o meu público devem estar decepcionados”, afirmou.

Além de Stepan, até o momento, outros três deputados tiveram o nome ligado às investigações feitas pela Polícia Federal sobre o esquema de jogos de azar ligado a Cachoeira. Nessa terça-feira, 3, o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS) não descartou instalar uma CPI para apurar a relação entre os parlamentares e o empresário. Há pedidos de processo contra Rubens Otoni (PT), Sandes Junior (PP) e Carlos Alberto Leréia (PSDB), todos de Goiás. Stepan ainda não foi convocado oficialmente, mas disse que quer se defender oficialmente.

Nessa terça, também em razão da divulgação do conteúdo de gravações telefônicas feitas pela Polícia Federal, o senador Demóstenes Torres pediu desligamento do DEM. O Supremo Tribunal Federal abriu inquérito para apurar o caso./ Com informações de O Estado de S.Paulo

Tudo o que sabemos sobre:

CachoeiraStepan Nercessian

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: