As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Candidatos debatem propostas para a cidade em Campinas

luizamonteiro

26 de outubro de 2012 | 22h24

Ricardo Brandt e Luiza Monteiro, de O Estado de S. Paulo

No debate desta sexta-feira, 26,  o último antes do segundo turno das eleições,  os candidatos à prefeitura de Campinas discutiram suas propostas para o transporte, saúde e saneamento básico, entre outros temas. Jonas Donizette (PSB) e Marcio Pochmann (PT) se enfrentaram no encontro promovido pela EPTV, afiliada da Rede Globo na cidade. Segundo a última pesquisa Ibope, divulgada na terça-feira, 23,  o candidato do PSB lidera com 45% das intenções de voto, e o petista aparece com 37%.

Donizette atacou as propostas do petista para a corrupção e questionou as medidas do adversário para lidar com o problema, caso seja eleito. “A equipe dele é a da prefeita Izalene”, atacou Donizette, em referência a ex-prefeita petista, cujo governo foi mal-avaliado. Em resposta, o petista defendeu que seu estilo é o da presidente Dilma Rousseff e que não vai tolerar corrupção. “Não tenho compromisso com o que o meu partido fez”, disse Pochmann.

O candidato do PSB provocou o petista quanto às suas propostas para o emprego. Pochmann disse que,  se fosse respeitado pelo adversário, ele teria lido seu programa de governo, e se defendeu: “Sou entre nós dois o mais experiente em administrar”. O petista propõe 50 mil novos empregos em Campinas, além de levar para a cidade o protocolo do Banco Mundial

Transporte. No campo dos projetos de governo, o principal tema debatido entre os candidatos foi a questão do transporte. Sobre os pedágios urbanos, Donizette disse que não haverá a instalação de pedágios em Campinas e que eles são “factóides” criados pelo PT. Para Pochmann, a questão é prioridade e afirmou que pretende  implantar o bilhete único mensal, que permitirá uso livre por parte dos passageiros, que pagarão R$ 150 mensais. O petista também defendeu a reorganização dos anéis viários e a ampliação das ciclovias, além da redução do custo das passagens. Os candidatos também falaram sobre o radar urbano. O candidato do PSB disse que Campinas tem 3.500 multas por semana e que sua proposta é tirar de 20% a 30% dos radares da cidade.  “O PT vai passar longe da Secretaria de Transporte no meu governo”, atacou Donizette.  Pochmann, contudo, defendeu que o radar urbano é um elemento adicional e que é preciso haver uma política de cultura de trânsito.

O saneamento básico também foi debatido pelos candidatos. Donizette afirmou que a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A (Sanasa), administrada pelo PSDB, continuará sendo uma empresa pública e que Campinas precisa ser exemplo na questão do saneamento. Pochmann disse que, do ponto de vista do PT, a Sanasa será estratégica na região metropolitana.

A última pesquisa Ibope, divulgada na terça-feira, 23, mostrou uma distância de oito pontos entre o candidato do PSB, que lidera com 45%, e o petista, que aparece com 37%. No primeiro turno , Donizette teve 47,60% dos votos válidos, e Pochmann, 28,56%.

Veja o minuto a minuto do debate:

23h57 Termina o último debate antes das eleições em Campinas, com os candidatos Jonas Donizette (PSB)  e Marcio Pochmann (PT)

23h56 Pochmann pediu para eleitor fazer uma reflexão para saber como estará Campinas no futuro. Ele citou a afinidade com a presidente Dilma. “Você quer uma experiência duvidosa”, diz.

23h55 Nas considerações finais, Jonas diz que seu projeto político é trazer resultados para a qualidade de vida da população. “Eu quero chamar você, principalmente as pessoas idosas. Vá até as urnas. O destino de Campinas está em suas mãos”. O candidato do PSB diz que defende uma administração “séria e honrada” para Campinas

23h54  Jonas diz que é mentira. Segundo ele, Alckmin sempre apoiou o trem-bala e Viracopos.

23h53 Pochmann diz que o momento é chave para Campinas. O candidato defendeu uma melhora no transporte e na educação. Ele afirmou que o Alckmin manifestou-se contra essas obras.

23h52 Jonas afirma que vai assumir um compromisso com as famílias que vivem no entorno de Viracopos. “Ninguém vai ser retirado dessa área.” Ele falou que vai levar para Campinas a faculdade do ar

23h51 Pochmann pergunta como Jonas vai se preparar para as transformações que a cidade sofrerá com Viracopos ou o trem-bala

23h50 Pochmann diz que está “muito tranquilo”

23h50 Jonas diz que o adversário tenta desfazer de sua candidatura. Ele defendeu sua proposta de poupa tempo empresarial.

23h49 Pochmann diz que se fosse respeitado pelo adversário ele teria lido seu programa de governo. “Sou entre nós dois o mais experiente em administrar. O petista diz que levará as empresas para as regiões mais distantes da cidade. Diz que haverá mais de 50 mil novos empregos. Ele diz que trará o protocolo do Banco Mundial para a cidade

23h48  Jonas diz que Pochmann fala pouco sobre empregos.

23h47 Segundo Jonas, ele sempre se preocupou com crianças

23h46 O candidato Pochmann diz para ele falar a verdade e que ele fez a lei. “Por que você entrou na Justiça para não divulgar a lei”. O petista afirma que o próprio juiz afirma que lei é de trabalho infantil. Pochmann diz que está “indignado” de ter um candidato que defenda o trabalho infantil. Diz que o propósito de sua campanha é a educação

23h45  Jonas responde que Pochmann parte para o vale tudo no final da campanha. Ele afirmou que a lei é de 1997, e que o PT tenta enganar a população. “Isso é um dossiê dos aloprados do PT”. Donizette diz que, no seu governo, a criança vai estar na escola.

23h44 Pochmann pergunta novamente para Jonas sobre questão do trabalho infantil. “Por que você entrou na Justiça para impedir a divulgação dessa lei?”

23h43 Donizette diz que o PT “vai passar longe da Secretaria de Transporte” no seu governo

23h42 Pochmann defende que o radar é elemento adicional, que é preciso ter cultura de trânsito. É preciso ter iluminação, faixa de pedestre  e também um trabalho educativo

23h41 Donizette pergunta sobre o radar urbano. Ele diz que Campinas tem 3.500 multas por semana. Ele pretende tirar de 20% a 30% dos radares da cidade.

23h40 Começa o terceiro e último bloco do debate. Nesta parte, o tema é livre.

23h37 Termina o segundo bloco do debate entre Marcio Pochmann (PT) e Jonas Donizette (PSB)

23h36 Jonas afirma que o próprio juiz eleitoral confirmou que Pochmann não tem história de vida em Campinas.

23h35 Pochmann diz que Jonas tem problema com seu passado. “Ele diz que eu estou nervoso. Que eu sou um candidato fabricado”.Segundo ele, é a mesma tática de Serra contra a presidente Dilma.

23h35  Jonas responde que é perceptível o nervosismo do adversário. Na questão da saúde ele afirma que é bom ter história em Campinas e que ele trouxe dinheiro para cidade como deputado, enquanto Pochmann é uma figura desconhecida na cidade.Jonas diz que vai trazer as UPAs do governo federal e as AMAs do governo estadual.

23h34 Pochmann pergunta sobre saúde. Ele quer saber qual a defesa dele sobre a aprovação da lei quando deputado sobre a privatização da saúde.

23h33 Pochmann afirma que seu governo terá os maiores talentos. “Quem entende de ficha suja é o Jonas que escolheu um vice ficha suja”.

23h33 O candidato Jonas afirma que Pochmann fala uma coisa e faz outra. “A equipe dele é da prefeita Izalene”, em referência a ex-prefeita petista que teve um governo mal avaliado. Donizette que fará um governo que não vai tolerar desvios de recursos.

23h32 Pochmann responde que o estilo dele é o da presidente Dilma Rousseff e que não vai tolerar corrupção. O candidato do PT afirma que tem 30 anos de experiência pública e é ficha limpa. “Não tenho compromisso com o que meu partido fez”, diz.

23h31 Jonas pergunta sobre combate a corrupção. “O Pochmann diz que vai fechar as torneiras da corrupção”. Ele pergunta como será fechado se o prefeito Demétrio do PT foi cassado por isso.

23h30 Jonas diz que o candidato adversário tenta tumultuar e mistura os temas. “Já expliquei essa lei, mas ele quer tumultuar”

23h29 Pochmann diz que no ponto de vista do PT a Sanasa será estratégica na região metropolitana. O candidato volta a perguntar porque Jonas vai reduzir leitos da população pobre.

23h28 Jonas afirma que Pochmann vai dar dinheiro para as empresas de ônibus. E sobre saneamento, ele afirma que a Sanasa vai continuar sendo uma empresa pública na cidade. Donizette diz que Campinas precisa ser exemplo no saneamento básico.

23h27 Pochmann pergunta sobre saneamento básico. Segundo ele, a Sabesp, administrada pelo PSDB que apoia Jonas. Ele pergunta o que ele vai fazer sobre a tarifa.

23h26 Pochmann responde que a proposta do PSB vai significar R$ 22 milhões por ano. “Isso vai sair do aumento da passagem de ônibus. Se Jonas vencer vai aumentar o preço do ônibus”, atacou Pochmann.

23h25  Jonas afirma que o PT ficou 12 anos mandando na secretária de Transportes em Campinas e a situação é caótica na cidade. “Agora vem com proposta de campanha”.

23h24 Pochmann responde que tema é prioridade. Ele defende a reorganização dos aneis viários, ampliar as ciclovias e reduzir o custo das passagens. Com o bilhete único mensal sem limites, ele afirma que o povo pagará R$ 150 mensais e terá uso livre.

23h23 Começa o segundo bloco, dessa vez com o mediador fazendo perguntas temáticas. Jonas Donizette começa perguntando a Pochmann sobre sua proposta para o transporte

23h20 Termina o primeiro bloco do debate

23h18 Pochmann responde que tema da saúde é importante e que ele tem uma proposta de saúde de portas abertas. Segundo ele, o PT vai melhor estruturar os postos de saúde e criar três novas UPAs. Segundo ele, tudo isso é possível porque a cidade tem dinheiro.

23h17  Jonas pergunta sobre saúde pública e defende que precisa somar forças entre governo estadual e governo federal.

23h16 Pochmann responde que vai instalar o bilhete único mensal.

23h15 Jonas responde que esse é o perfil do PT, que faz ataques. Segundo Jonas, a própria Artesp já explicou que não haverá pedágios urbanos e que são factóides criados pelo PT. Ele negou também que a lei criada por ele favoreça o trabalho infantil.

23h13 Pochmann pergunta sobre a instalação de pedágios urbanos na cidade

23h12 Pochmann afirma que o candidato Jonas se equivocou quanto ao assunto. “É plenamente possível ter mais recursos”. Segundo Pochmann, Jonas não responde sobre o trabalho infantil, em referência a uma lei aprovado por ele quando vereador.

23h11 Jonas responde que pretende fortalecer a Secretaria de Esportes. Ele disse que se Pochmann fizer o que propõe a cidade vai ficar sem recursos federais.

23h10: Pochmann responde que são dois temas importantes e que na proposta do PT a união das áreas vai reforçar os temas. Que foi o prefeito Toninho que havia iniciado a união entre essas secretarias. Ele afirmou que vai elevar o orçamento para essas pastas. Lembrou que vai construir 5 Centros Unificados de Educação (CEUs).

23h09 Jonas pergunta sobre questão de esporte e cultura. Ele afirmou que Pochmann pretende extinguir a secretaria de Esportes e ele não.

23h08 : Márcio responde que questão é prioridade e que ele mesmo já foi vítima da segurança. Ele lembrou da morte do prefeito Toninho do PT, em 2001.

23h07: Jonas Donizette diz que, como prefeito, pretende trabalhar com os reeducandos. Para ele, também, é preciso investir na educação.

23h06: Começa o primeiro bloco do debate. Pochmann faz pergunta sobre violência. Ele pergunta a Donizette sobre a situação dos presídios e a sua relação com a violência

 

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.