As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dos 81 senadores, apenas 7 defendem voto secreto no Senado

Lilian Venturini

14 de junho de 2012 | 12h23

do estadão.com.br

As propostas em curso no Senado de acabarem com o fim do sigilo das votações em casos de cassação de mandato contam com apoio de 68 dos 81 senadores. Levantamento feito pelo site Congresso em Foco mostra que somente 7 parlamentares declaram-se contrários ao voto aberto nesses casos.

A discussão sobre o fim do voto secreto foi retomada com o processo de cassação do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), acusado de envolvimento com o esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira. Mesmo se o Conselho de Ética aprovar a cassação, o resultado pode ser revertido no plenário, já que os senadores não são obrigados a mostrar como votaram. Na semana passada, o presidente do Senado, José Sarney, determinou que os projetos que propõem mudanças no sistema de votação entrem na pauta da Casa.

Dos 81 senadores ouvidos pelo site, seis preferiram não antecipar o voto ou informaram ainda não ter decidido. Declararam-se contrários os senadores: Armando Monteiro (PTB-PE); Cássio Cunha Lima (PSDB-PB); Ciro Nogueira (PP-PI); Jader Barbalho (PMDB-PA); Kátia Abreu (PSD-TO); Lobão Filho (PMDB-MA) e Romero Jucá (PMDB-RR).

Demóstenes, cujo processo de cassação está em andamento no Conselho de Ética, se disse favorável ao voto aberto. Não se pronunciaram os senadores Fernando Collor (PTB-AL); João Ribeiro (PR-TO); José Sarney (PMDB-AP); Paulo Bauer (PSDB-SC); Renan Calheiros (PMDB-AL) e Sérgio Petecão (PSD-AC).

Pauta. A votação em primeiro turno das três propostas que tratam do tema seria realizada nessa quarta-feira, 13, mas foi adiada por falta de quórum. No mesmo dia, entidades que defendem o combate à corrupção entregaram uma petição on line em favor do voto aberto. Segundo os grupos, 65 mil pessoas declararam apoio à petição. / Com informações da Agência Senado

Tudo o que sabemos sobre:

Senadovotação secreta

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.