As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Documento vincula aparelhamento político a prejuízos financeiros em Furnas

Jennifer Gonzales

24 de janeiro de 2011 | 15h16

Documento elaborado por engenheiros da estatal Furnas vincula o aparelhamento político da direção aos recentes prejuízos financeiros da empresa. De acordo com reportagem do jornal ‘O Globo’, o documento, entregue a autoridades federais e parlamentares, irritou o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), citado no texto como líder da ala peemedebista em Furnas.

Ainda segundo o jornal, Dilma pretende substituir Carlos Nadalutti Filho na presidência da estatal. O PMDB mineiro apresentou dois nomes: o deputado Marcos Lima e o senador Hélio Costa. Mas Dilma avisou que deseja um nome técnico.

Segundo os engenheiros da estatal, ‘a marca da gestão Eduardo Cunha, iniciada com Luiz Paulo Conde, é o desrespeito às leis, estatutos e regulamentos que regem o mundo corporativo’. O documento acusa ainda a direção da estatal de substituir quadros técnicos com larga experiência por indicações política.

Pelo Twitter, Cunha acusou a reportagem do jornal e também disse não ter ligação com a empresa.

Leia a reportagem na íntegra.

Tudo o que sabemos sobre:

Dilma RousseffEduardo CunhaFurnas

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.