As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dilma deve escolher José Eduardo Martins Cardozo para o Ministério da Justiça

Armando Fávaro

23 de novembro de 2010 | 17h12

da Sucursal de Brasília

O deputado José Eduardo Martins Cardozo deverá mesmo ser o ministro da Justiça da presidente eleita, Dilma Rousseff. Entre outros motivos, como a aproximação antes e durante a campanha, pesam a favor dele o fato de não ter feito campanha para se reeleger – ou seja, não se envolveu em disputas políticas -, o fato de não enfrentar problemas com prestação de contas eleitorais, doações e caixas de outras naturezas, além de ter sido um petista diferente na CPI dos Correios (e até no caso Lubeka, motivo que desagrada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva).

Veja também:

‘Falo com lealdade que se tivesse sido convidado para o Ministério da Justiça ficaria quieto’, diz Martins Cardozo

Martins Cardozo já tem tratado com Dilma de temas relativos à Pasta da Justiça no próximo governo. Entre eles, a continuidade da instalação das UPPs e formas de combater o crack. Eles acreditam que serão necessárias ações de repressão diretamente nas cracolândias e educativas, com apoio aos centros de recuperação de dependentes que já existem, além da criação de novos. Concluíram ainda ser necessária uma ação nas fronteiras para o combate ao tráfico de drogas e de armas. Dilma é especialmente encantada com os Veículos Não Tripulados (Vants) comprados de Israel. Quer adquirir novos modelos para a Polícia Federal.

Esportes. A deputada federal Manuela D’Ávila já foi sondada por Martins Cardozo, que falou em nome de Dilma, para ocupar o Ministério dos Esportes, no lugar de Orlando Silva. Assim, o PC do B continuaria com a pasta e Dilma teria uma mulher campeã de votos no Ministério – ao qual ela deseja imprimir um perfil mais feminino. Contatada pelo Radar Político, a deputada negou que tenha sido chamada.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.