As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dilma confirma Fux no STF, Jucá no Senado e Vaccarezza na Câmara

Jennifer Gonzales

02 de fevereiro de 2011 | 08h54

Rosana de Cassia

A presidente Dilma Rousseff encaminhou ao Senado Federal a indicação de Luiz Fux para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal. O ato foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 2. Mas o nome de Fux foi redigido de forma incorreta, como Luiz Pux, no D.O. Ele terá que ser sabatinado, ter o nome aprovado pelo plenário para somente depois assumir o cargo.

O D.O trouxe também as indicações de Romero Jucá (PMDB-RR) para a liderança do governo no Senado e de Cândido Vaccarezza (PT-SP) , como líder da Câmara. Os dois ocuparam as mesmas funções no governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

Fim de novela

Fux ocupará a cadeira que ficou vaga com a aposentadoria de Eros Grau, em agosto, pondo fim a uma novela que se arrasta por dez meses.

O então presidente Luiz Inácio Lula da Silva planejava indicar o advogado-geral da União, Luiz Inácio Adams, para o STF. Dilma, porém, escalou Adams para continuar no mesmo posto que ocupou no governo Lula.

Com a indicação do carioca Fux, o clima sisudo e extremamente formal do STF deve ser quebrado. Apadrinhado pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), ele é considerado o mais moderno ministro do STJ, corte que integra desde 2001. Aos 57 anos, Fux é adepto de esportes como corrida e jiu-jítsu e toca guitarra. Frequentemente, ele viaja para o Rio, onde é visto na praia ou praticando esportes.

Na área jurídica, o ministro é conhecido como um estudioso do Direito Civil. No ano passado, presidiu uma comissão de juristas encarregada de preparar um anteprojeto para o novo Código de Processo Civil.

(Com Vera Rosa e Mariângela Gallucci)

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.