As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Desafio São Paulo: Veja as propostas dos principais candidatos para enchente

Redação

30 de junho de 2012 | 16h00

Desafio São Paulo

São Paulo possui 407 áreas de risco, entre encostas e margens, identificadas na cidade. Dessas, 1179 setores foram mapeados, sendo 607 de risco muito alto e 572 de risco médio e baixo. Desse total, somente 268 setores receberam projetos de urbanização que já estão em execução ou já foram contratados. Conheça a história de Luciene, que mora no Jardim Romano, bairro que já chegou a ficar meses inundado depois de fortes chuvas. Veja também as propostas dos principais candidatos para sanar o problema das enchentes.

José Serra (PSDB)

“Essa é uma operação casada entre Habitação, Meio Ambiente e subprefeituras. Desde 2010, 18 mil famílias foram beneficiadas com intervenções como a construção de muros, retaludamento (mudança da inclinação de encostas) ou obras de drenagem. É preciso investir ainda mais em desassoreamento de córregos e na criação de mais parques lineares em margens de rios, aperfeiçoar a manutenção do sistema de drenagem urbana, com a limpeza de bocas de lobo, galerias pluviais e gestão dos piscinões.”

Celso Russomanno (PRB)

“Vamos trabalhar para modernizar as galerias pluviais – hoje ultrapassadas –, adotar um programa permanente de limpeza de bocas de lobo, córregos e piscinões e monitoramento constante de todos os pontos de alagamento, por meio do Programa de Administração Inteligente. Cada subprefeitura terá equipes próprias de emergência, que serão abastecidas com informações de todos os pontos da cidade. Também vamos investir em campanhas educativas para trabalhar a cidadania e o respeito ao meio ambiente.”

Soninha Francine (PPS)

“É preciso reformar o sistema de águas pluviais: existem galerias subdimensionadas ou malfeitas; outras têm número insuficiente de bocas de lobo para captar água da chuva, fazendo com que ela corra pela rua até chegar com estrondo à baixada. Temos de devolver espaço para a água, acima e abaixo da superfície. Com telhados e calçadas verdes; praças e parques lineares. Com “piscininhas” e um novo sistema de captação, em que a água, em vez de correr sobre base de concreto, vai sendo absorvida e filtrada no caminho.”

Fernando Haddad (PT)

“A Prefeitura não promove a limpeza adequada dos piscinões e na época de chuvas repetem-se as tragédias. Isto pode ser evitado com programas de prevenção, manutenção e desobstrução dos sistemas de micro e macrodrenagem, com a permanente limpeza de galerias e bueiros. O governo estadual também precisa fazer sua parte, limpando os rios. Adotaremos medidas de reordenação da ocupação das várzeas e fundos de vale, para aumentar a permeabilidade do solo.”

Gabriel Chalita (PMDB)

“Uma resposta possível para muitos casos são os piscinões. Mas não adianta só construir. É preciso dar manutenção, mantê-los limpos. Precisamos avançar, contudo, em novas soluções tecnológicas, com calçadas que permitam a drenagem e até mesmo a implantação de asfalto ecológico. Ação contra enchente é uma ação complexa: piscinão de um lado, limpeza de bueiro de outro, calçadas ecológicas, asfalto ecológico e campanhas educativas para conquistar a população para fazer sua parte.”

Paulinho Pereira da Silva (PDT)

“É possível reduzir esse transtorno paulistano por meio de um eficiente sistema de limpeza das ruas, rios e galerias pluviais. Reordenar o espaço urbano às margens dos rios e córregos e construir mais piscinões na cidade (hoje temos apenas 19 piscinões). Precisamos, pelo menos, dobrar esse número. Vou também implantar uma ampla equipe de limpeza dos bueiros.”

 

Tudo o que sabemos sobre:

desafiosãopaulo

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.