As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Deputado de balcão de emendas teria tentado influenciar obra do PAC

Redação

19 Junho 2012 | 08h21

estadão.com.br

Um esquema de negociações de emendas teria tentado interferir em uma obra do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), a Ferrovia Oeste-Leste. O chefe do esquema seria o deputado Carlos Bacelar (PR-BA), que foi denunciado por sua irmã Isabela Bacelar. De acordo com ela, existia uma tentativa de desviar um trecho para os cuidados de Bacelar, que indicaria um nome para a Superintendência de Construção da ferrovia. A Valec, estatal responsável pela construção da ferrovia , confirmou que o presidente da empresa foi procurado por Bacelar.

Na conversa gravada, Isabela teria dito que Bacelar foi tirado por Valdemar Costa Neto, que ao se juntar com uma empresa de Portugal, teria tirado o deputado da jogada. “Ele foi limpado”, disse Isabela, segundo O Globo. A denúncia veio à tona porque a ex-mulher de João Carlos Bacelar, Isabela Suarez, filha do fundador da empreiteira OAS, Carlos Suarez, confidenciou o esquema de balcão de emendas à irmã de Bacelar, Lilian Bacelar. Como a irmã trava uma briga judicial com ele pela herança da família, ela tornou público o caso.

Isabela disse ainda que o presidente do PR na Bahia, Cesar Borges referendava as indicações políticas de Bacelar. “Cesar Borges tolhia as indicações do João porque sabia que todo mundo que fosse indicado por João estava lá para poder armar”, disse a irmã de Bacelar ao O Globo.

A Valec não comentou a indicação para a Superintendência de Construção da ferrovia e o deputado Valdemar Costa Neto afirmou “que não representou e não representará interesses de empresas junto à administração pública”. Já Bacelar não quis comentar o assunto.

Campanha. O balcão de emendas também funcionava na esfera legislativa. O apoio do prefeito de Teofilândia (BA) à campanha eleitoral do deputado Carlos Bacelar (PR-BA) foi negociado em troca de uma emenda de cerca de R$ 2 milhões. A confirmação, segundo reportagem de O Globo, foi feita pelo deputado federal Marcos Medrado (PDT-BA). O líder do PSOL na Câmara dos Deputados vai entregar nesta terça-feira, 19, um relatório pedindo ao presidente da Casa que o caso seja encaminhado à Corregedoria.

Nas eleições de 2010, Medrado obteve 3561 votos e foi o mais votado na cidade, que é a base eleitoral de Bacelar. Ele, no entanto, teve apenas 20 votos. A reportagem sustenta que há um balcão de negócios de emendas no local, que pode ser comprovada comparando o pleito de 2010 ao de 2006. Bacelar conseguiu, na época, 493 e foi o terceiro mais votado. Já Medrado teve 3 votos.

A cidade de Teofilândia era antes reduto eleitoral de Fernando de Fabinho (DEM-BA) que, segundo O Globo, teria negociado com Bacelar e passado o seu legado a Medrado. Ele nega.

 

 

 

Mais conteúdo sobre:

emenda parlamentarPDTPRTeofilândia