As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Depois de SP, Amapá diz que dados do IBGE sobre funcionalismo estão errados

Lilian Venturini

14 Março 2014 | 19h11

Pedro Venceslau

São Paulo – Depois de São Paulo, nesta sexta-feira, 14, foi a vez do Amapá afirmar que os números referentes ao Estado na pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre o funcionalismo no Brasil estão errados. Segundo o levantamento, o Amapá seria disparado o recordista em contratações de funcionários em cargos comissionados (sem concurso público).

Entre 2012 e 2013, esse número teria saltado de 1752 para 5254. “Houve um erro grave na informação fornecida ao IBGE pelo Secretaria de Administração do Estado. Estamos apurando o que houve, mas a culpa não é do instituto”, disse ao Estado o secretário de Planejamento do Amapá, José Ramalho de Oliveira. A pasta afirma que já comunicou o erro, mas ainda não calculou o número correto.

O IBGE divulgou nesta quinta-feira, 13, números errados sobre o funcionalismo de São Paulo, causando protestos do governo Geraldo Alckmin (PSDB). Na manhã desta sexta, porém, o governador reconheceu que sua gestão passou dados errados para órgão. Mas disse que uma retificação foi feita no ano passado e ignorada.

“Houve uma informação equivocada da Secretaria de Gestão, que depois foi corrigida. O IBGE errou, mas depois resolveu o problema. O que queríamos era transparência”, afirmou Alckmin.

Na pesquisa, divulgada nessa quinta, 13, o IBGE informou que, entre 2012 e 2013, os Estados criaram 10.386 cargos sem realizar concurso público. Desse total, quase 7 mil teriam sido criados em São Paulo.