As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lula é cobrado sobre divisão dos royalties do pré-sal em encontro de prefeitos

Camila Tuchlinski

20 Maio 2010 | 12h14

Por Carol Pires e Rodrigo Alvares

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursou nesta quinta-feira, 20, para cerca de 4,5 mil prefeitos no encerramento da XIII Marcha dos Prefeitos a Brasília em defesa dos municípios. Durante sua fala, Lula evitou debater sobre a divisão dos royalties do pré-sal, o que levou a plateia a gritar sobre os projetos de lei sobre o assunto. “Fico constrangido de discutir o pré-sal em um ano eleitoral”, rebateu o presidente.

Leia abaixo a cobertura do encontro:

13h55 – Lula fechou o discurso sinalizando que não gostou do fator previdenciário, aprovado ontem, na Medida Provisória que reajusta o salário dos aposentados em 7,7% pelo Senado. “Tem gente que acha que ganha voto fazendo isso. Se o povo compreendesse o que significa isso, eles podem nem ganhar tanto voto quanto pensam”, disse o presidente, que vetará, segundo o senador Romero Jucá, esta parte do projeto.

13h49 – Lula anuncia que está quase acabando o discurso quando pessoas gritam da plateia perguntando se ele não falaria sobre os projetos de lei do pré-sal, mas Lula fugiu: “Fico constrangido de discutir o pré-sal em um ano eleitoral”.

O que os prefeitos querem saber é da divisão dos royalties. Este assunto criou um racha entre estados e municípios produtores e os não produtores. Por isso Lula não quer debater agora.  No final do ano passado, ele havia prometido aos governadores do Rio de Janeiro e Espírito Santo um benefício maior que os demais.

13h44 – Lula pede que igrejas católica, evangélica, prefeitos e sindicatos participem do plano de combate à epidemia do crack no País. “Não vamos deixar uma geração de jovens brasileiros perder um futuro cada vez mais promissor”.

13h35 – Lula conta que, anos atrás, foi no Porto de Suape, em Pernambuco, e conheceu um cara quase sem nenhum dente. “Perguntei como ele comia, e ele me disse que só dava para comer caldinho”. No início do mês Lula voltou em Suape e reencontrou o mesmo homem, que foi atendido pelo programa Brasil Sorridente. “Ele me disse: Presidente, tô comendo até castanha!”. O homem continuou: “Presidente, agora eu quero um carrinho. Mesmo que seja um carrinho velho, para eu andar por aí”. “O dentinho deu pra colocar, o carrinho você peça para outro”, respondeu Lula.

13h27 – É uma reclamação recorrente do presidente o que ele chama de complexo de inferioridade do brasileiro. Lula criticou articulistas que escreveram que a ameaça nuclear não era assunto do Brasil. “Mas quem é que disse que era  coisa dos Estados Unidos também?”, pergunta Lula.

13h25 – Lula lamenta não-reconhecimento pelos Estados Unidos das negociações entre Brasil e Irã sobre acordo nuclear. “Porque tem gente que não sabe faze política se não tiver um inimigo. E eu sou aquele que só sei fazer política fazendo amigos”.

13h21 – Lula afirma que não criou o ministério da Micro e Pequena empresa este ano porque “os companheiros da imprensa” iriam dizer que era uma ação eleitoral.

13h17 – Lula acaba de assinar decreto que institui plano integrado de enfrentamento ao crack.

13h15 – Lula é chamado ao palco. Os prefeitos aplaudem de pé e gritam: “Lula, Lula Lula”.

13h12 – Alexandre Padilha promete: no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) versão 2 não será exigido contrapartida dos municípios nas obras. O PAC 1 ainda não está completo. A versão 2 ficará a cabo do próximo presidente, portanto. É a primeira vez que o presidente da República fecha, ao invés de abrir, a Marcha dos Prefeitos – disse, há pouco, Alexandre Padilha. Já dura 17 minutos o discurso dele.

13h06 – Dados da Confederação Nacional dos Municípios: no final de 2008, os municípios participavam de 13% da receita tributária do País. Em 2009, já participavam de 19% do bolo tributário nacional.

13h04 – “Estamos adorando ser comandados por mulher”, diz Padilha, apontando a sucessora de Dilma Rousseff na Casa Civil, Erenice Guerra.

13h01 – Alexandre Padilha anuncia que Lula assinará, hoje, um Projeto de Lei a ser encaminhado ao Congresso, pedindo a transformação do comitê de articulação federativa em uma mesa permanente de negociação “onde os prefeitos e prefeitas poderão apresentar sua marcha de reivindicações”.

12h58 – Plateia vai ao delírio. Ministro Alexandre Padilha, de Relações Institucionais, anuncia a presença do vice-presidente, José Alencar, que, ontem, passou ontem por mais uma sessão de quimioterapia no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. O vice-presidente levantou-se e deu socos no ar, em  sinal de vitória. Depois, sentado, enxugou o olho.

12h55 – Coro na plateia entoa: “emenda 29, emenda 29”. A emenda 29 obriga a União a investir 10% da receita em Saúde. Hoje, Estados já são obrigados a investir 12% e Municípios 10%.

12h54 – Os municípios querem mais dinheiro do governo federal. Ziulkoski pede e os prefeitos aplaudem. As contas do primeiro quadrimestre de 2010 não vão fechar, segundo ele, porque o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) está deficitário. “Como os prefeitos vão fechar as contas?”.

12h48 – As críticas feitas ontem ao governo federal durante a sabatina dos presidenciáveis, são repetidas por Ziulkoski para Lula. Os prefeitos reclamam do subfinanciamento dos programas sociais. “Queremos programas que tenham garantia de inicio, meio e fim”. Condenam também as desonerações tributárias que tiveram como consequência a diminuição do caixa das prefeituras.

12h42 – Presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Paulo Ziulkoski conta que a Marcha dos Prefeitos seria apenas na terça e quarta-feira desta semana. O encontro foi estendido até hoje só para que os prefeitos ouvissem Lula. Ziulkoski elogiou as viagens internacionais feitas pelo presidente: “Isto eleva a auto-estima da população brasileira”.

12h36 – Lula é o único sem terno e gravata no palco. Usa roupa escura e casaco bege e está sisudo.

12h32 – João Coser, do PT, prefeito de Vitória, abre a cerimônia. “Há dez anos não éramos sequer recebidos, Hoje somos recebidos pelo presidente e pelo vice e ainda uma comissão de ministros”. Pelo menos 14 ministros de Estado participam da Marcha dos Prefeitos, hoje.

12h27 – Auditório cheio na XIII Marcha dos Prefeitos, que recebe o presidente Lula, e o vice-presidente, José Alencar. Lula chegou às 4h15 de hoje em Brasília. Ele voltou de uma viagem de oito dias por cinco países, dentre eles Rússia e Irã. O presidente encerrou a viagem ontem, em Portugal, onde se encontrou com o presidente Aníbal Antônio Cavaco Silva.

Mais conteúdo sobre:

BrasíliaLulaMarcha dos Prefeitos