As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dados de pesquisa deixam clima tenso em reunião da bancada tucana

Jennifer Gonzales

28 Setembro 2011 | 15h52

Julia Duailibi, de O Estado de S.Paulo

Em reunião dos deputados do PSDB na terça-feira, 27, à noite, o deputado Jutahy Junior (BA) criticou a pesquisa encomendada pela presidência do partido para moldar o discurso eleitoral dos tucanos nos próximos anos. Aliado do ex-governador José Serra, Jutahy pediu a palavra antes que o resultado do levantamento fosse apresentado pelo cientista político Antonio Lavareda aos parlamentares da bancada.

“Não entendo como uma pesquisa paga pelo partido gerou tantas notícias negativas contra nós antes mesmo de ser divulgada para a bancada”, reclamou o deputado, que enumerou os veículos em que saíram as notícias ruins para o partido. Entre os exemplos citados, estão as informações, constatadas na pesquisa, de que o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi considerado pelos entrevistados mais corrupto que o de Luiz Inácio Lula da Silva e que a presidente Dilma Rousseff ganharia de Serra no primeiro turno, se a eleição fosse hoje.

“Pesquisa é fato para consumo interno, não para comunicação. Quanto mais negativa”, afirmou. “Um resultado em que Serra aparece com 25% é um resultado excelente. Mas foi transmitido de forma negativa”, disse Jutahy ao Estado. Ele ainda ironizou: “Felizmente tiveram bom senso de não colocar outro nome na pesquisa, a não ser o do Serra”.

O deputado ainda questionou o custo do levantamento ao presidente do partido, Sérgio Guerra, que não informou o valor do levantamento. “Quanto pagamos para falar mal da gente?”, indagou.