As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Comissão da Alesp cancela ida de Bruno Covas para prestar esclarecimento

Redação

04 de outubro de 2011 | 12h52

Fernando Gallo, de O Estado de S.Paulo

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) cancelou a ida do secretário estadual de Meio Ambiente e pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), para a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Bruno era aguardado para prestar contas da secretaria e também para falar sobre a oferta de propina que teria recebido de um prefeito para liberação de uma emenda parlamentar. A decisão foi tomada pelo presidente da comissão, o deputado Beto Tricoli (PV-SP).

Em entrevista gravada à coluna Direto da Fonte, concedida há cerca de um mês, o secretário deu a declaração ao responder se já havia passado por situação envolvendo corrupção. “Ah, já. Uma vez, consegui uma emenda parlamentar de R$ 50 mil para obra de um município. Assinamos o convênio e depois o prefeito veio perguntar com quem ele deixava os 5 mil”, contou. “Respondi: Doa para a Santa Casa, eu que não vou ficar com isso?. Não sei se ele contou para os outros, mas foi o único caso que eu tive na Assembleia”. Para a cúpula tucana, o secretário recuou após a repercussão da declaração.

Depois da divulgação do áudio, Covas voltou atrás e negou que tivesse recebido a proposta “Falei em uma hipótese e que não deveria ser aceita. Não disse que aquele caso aconteceu em específico. Retifico o que falei. Estava dando um exemplo hipotético do que fazer num caso como aquele”, disse Bruno Covas.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.