As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Debate no Rio é marcado por troca de acusações entre candidatos

Jennifer Gonzales

28 de setembro de 2010 | 22h08

Luciana Nunes Leal, Alfredo Junqueira e Jair Stangler 

debate_rio_marcos_de_paula_ae_27092010_480.jpg

O debate entre os candidatos ao governo do Rio foi marcado por polêmica e troca de acusações. O governador Sérgio Cabral Filho (PMDB), que tenta a reeleição, virou alvo de acusações dos adversários, que o acusaram de conflito de interesse e de ser aliado a políticos acusados de integrar quadrilhas de milicianos e traficantes de droga.

Apadrinhado pelos ex-governadores Rosinha e Anthony Garotinho, inimigos do peemedebista, Fernando Peregrino (PR) usou todas as suas intervenções para atacar o governador. Fernando Gabeira (PV) ainda tentou falar de projetos para o Estado, mas também lembrou de casos de superfaturamento na Secretaria de Estado de Saúde.

Logo na primeira pergunta do debate, Peregrino citou o fato – relevado pelo Estado em janeiro – da primeira-dama do Rio, Adriana Ancelmo Cabral, ser advogada de empresas concessionárias dos serviços de transporte, como o Metrô e a SuperVia.

“Quando conheci minha mulher, ela já era advogada. E quando eu sair do governo, ela continuará advogada”, alegou Cabral. Atacado o tempo todo, o governador também não perdeu a chance de atingir seus adversários. Disse que fez levantamento sobre as emendas apresentadas por Gabeira na Câmara dos Deputados e que nenhuma iniciativa do parlamentar destinava recursos à Saúde ou à Segurança Pública.

Cabral também disparou contra Peregrino e os seus padrinhos políticos. “É lamentável que você sirva a esse papel”, disse o governador ao adversário do PR.

Temas importantes, como Copa do Mundo e Olimpíadas, Segurança e Saúde, entraram no debate apenas para os candidatos trocarem mais críticas e acusações.

O clima pesado no debate se refletiu na plateia, ocupada por aliados políticos dos três candidatos. Convidados de Peregrino e Cabral repetiram as acusações trocadas entre os adversários, com vaias, xingamentos e gritaria.

Confira os melhores momentos do debate: 

23h58 – Com muitas manifestações da plateia, o apresentador Márcio Gomes encerra o debate.

23h56 – Cabral agradece à população do Rio, a Lula, ao seu secretariado, a Deus, à sua família. Diz que vai pacificar todas as comunidades e que vai avançar nas finanças públicas. “Mas temos muitos desafios pela frente. É o momento de assumir compromisso.”

23h54 – Gabeira: “Foi uma campanha dura, eu ralei muito. Eu fui ver a população, esperando uma consulta, esperando o trem, esperando. As pessoas sabem o que é propaganda, o que é realidade. Eu vi que a população do Rio não tem o transporte público que merece. A eleição termina quando vocês, que são os juízes, depositam os votos nas urnas. Vou lutar até o último instante.”

23h52 – Peregrino, em suas considerações finais, diz lamentar pelos candidatos pequenos que não puderam estar lá. “Essa eleição está marcada desde o início, um para ganhar, um para perder. Esqueceram de combinar com você.” Critica a educação, as UPAs. “Vem o governador pedir para ficar mais quatro anos. Não, quem não fez, perdeu a vez. Vamos levar essa eleição para o segundo turno.”

23h51 – Gabeira diz lamentar não ter acontecido durante o período eleitoral uma discussão sobre o petróleo e sobre educação.

23h48 – Peregrino pergunta a Gabeira o que o candidato viu no governo de Cabral. Gabeira diz que não gostaria de entrar na briga dos dois. Mas diz estar preocupado com o tipo de desenvolvimento que acontece no Rio e cita as emissões do CO2 pela CSA. “Acho que precisamos ter um desenvolvimento sustentável.” Peregrino concorda e defende medidas para compensar. Diz que irá criar uma “fábrica de mudas”.

23h45 – Cabral diz que Peregrino não respondeu e diz que o governo Garotinho. “O governo anterior organizou uma vaia a Lula, como vai se construir uma parceria assim?” Peregrino cita o caso de um menino que morreu por falta de balão de oxigênio. “Ficar falando do governo da Rosinha Garotinho é uma patologia, uma obsessão. O senhor participou desse governo, era presidente da Assembleia.”

23h44 – Cabral pergunta a Peregrino  o que o adversário fará com relação a parcerias. Peregrino diz que o público não pode se confundir com o privado e que nesse aspecto o governo Cabral está falhando. “R$ 1,5 bilhão com um único grupo, o grupo Facility. Isso não é pregão eletrônico.”

23h42 – “As declarações foram feitas, sempre que abordado eu falo. Agora, o Gabeira colocou menos dinheiro pra Saúde do Rio do que pra São Paulo.” Cita obras e diz que ainda “há muito por fazer.”

23h41 – Na réplica, Gabeira diz que a investigação foi secreta. Não viu o inquérito em lugar nenhum e nem viu o governador falando sobre isso. “Em qual jornal saiu isso?”

23h40 – Cabral: “nosso governo abriu inquérito, abriu investigação. Criou procedimentos que antes não havia. Por exemplo, o pregão eletrônico.” Diz que qualquer servidor com má conduta. “Abrimos sindicância e o governador fala. Temos um governador limpo.

23h39 – Começa o quarto bloco. Gabeira cita reportagem do Globo sobre fraude em compra de remédio e questiona porque Cabral não se manifestou.

23h33 – “Penso em construir um pedaço da estrada de ferro que o Barão de Mauá fez até Petrópolis, que depois foi fechada pelo governo militar”, explica Gabeira em relação ao planos logísticos para a Copa e a Olimpíada.

23h32 – Peregrino diz que é preciso pensar em quem não tem posse e promete obras de infraestrutura e transporte. “O olhar do governador tem de ser para toda a população. Pensar no povo que não vai para o estádio.”

23h31 – Gabeira diz que Copa do Mundo e Olimpíadas podem ser fundamentais para o desenvolvimento do Rio, principalmente no setor turístico. Ele se diz preocupado com a situação dos aeroportos e afirma que o governo federal não tem condição de desenvolver o setor. Afirma ainda que pretende contar com investimentos da iniciativa privada para as obras necessárias nos aeroportos do Rio.

23h30 – Peregrino pergunta a Gabeira sobre suas propostas para o Rio de Janeiro sediar a Copa do Mundo.

23h29 – Peregrino diz que Cabral critica o casal Garotinho e ressalta que o único bem do casal, segundo ele, é uma casa que os dois herdaram, enquanto Cabral tem uma mansão de R$ 4 milhões. Ainda lembra de aliados polêmicos do governador, como políticos ligados ao tráfico e à milícia.

23h28 – Cabral diz que os casal Garotinho foi conivente com as milícias. “Até 2014 nós não teremos nenhuma comunidade sob controle de traficante nem sob controle das milícias.” Parte da plateia vaia e Cabral diz que quem fez “esse barulho” são os apoiadores de Peregrino.

23h26 – Peregrino responde que a milícia deve ser reprimida com Corregedoria Externa. Lembra que o governador, em agosto de 2007, participou de entrega de obras com dois políticos que comandavam um grupo de milicianos. Todos no palco cantavam. O vídeo do evento foi divulgado durante a campanha – conforme revelou o Estado em agosto. O vereador Jerônimo Guimarães, o Jerominho, (PMDB), acabou sendo preso quatro meses depois do evento e cumpre pena de 10 anos por formação de quadrilha

23h26 – Cabral diz que governo anterior havia prendido apenas 5 milicianos, volta a citar as prisões de seu governo e pergunta a Peregrino qual será sua postura com relação aos milicianos.

23h25 – Cabral ironiza Gabeira dizendo que obra não começa de uma dia para o outro. Afirma ainda que São Paulo e Minas Gerais receberam R$ 5 milhões em emendas de Gabeira, enquanto São Gonçalo teria recebido apenas R$ 100 mil.

23h24 – Gabeira: “O Jardim Catarina estava abandonado, depois que denunciamos é que se começou a se fazer alguma coisa. Qual o seu projeto para a universalização.”

23h22 – Cabral diz que, segundo estudo da FGV, o Rio foi o terceiro Estado do Brasil com maior crescimento em saneamento. Diz que tem mais de R$ 1 bilhão para investimentos em água e esgoto. Governador diz que, com finanças saneadas, poderá investir mais no setor. Afirma que água e esgoto serão prioridades no seu próximo mandato – caso seja eleito.

23h23 – Começa o terceiro bloco. Gabeira diz que apesar de Cabral e Lula se vangloriarem do investimento em saneamento, a realidade não é bem essa e que houve decréscimo e qustiona a proposta do atual governador para resolver o problema.

23h20 – Gritaria nos estúdios! Aliados de Peregrino fazem coro de “bandido” contra Cabral. A filha de Garotinho, Clarissa, puxa o coro. Aliados do governador puxam palmas e tentam encobrir os gritos dos adversários.

23h17 – “É lamentável que você sirva a esse papel”, Cabral diz a Peregrino. “Todo mundo sabe que o valor do meu imóvel refere-se ao que eu paguei quando o comprei”.

23h15 – Na réplica, Peregrino diz que o Cabral não respondeu à pergunta. “Cidadão quer votar num candidato que tenha mãos e vida limpas. Seja transparente, fale para o povo que sua mansão vale mais que R$ 4 milhões”

23h14 – Cabral diz que lamenta o fato de Peregrino ter trazido a questão de sua mansão em Mangaratiba para o debate. O governador a declara por R$ 200 mil, mas seu valor seria de R$ 4 milhões. Cabral contra-ataca elencando uma série de acusações contra o casal Garotinho. Diz que o adversário está se prestando a papel ridículo e pede que ele respeite a própria família. Segundo Cabral, a casa está em sua declaração há 12 anos.

23h13 – Peregrino questiona Cabral sobre o valor de sua casa. “Por que o senhor registou sua casa com o valor de R$ 200 mil e não com R$ 4 milhões, como o jornal ‘Valor’ avaliou”?

23h12 – Peregrino diz que é preciso unir a sociedade contra o dengue. E volta a atacar Cabral. Diz que não foram feitos investimentos em habitação e que o governador usurpou as obras de seus antecessores – Rosinha e Garotinho.

23h11 – Gabeira: “Nessa questão da dengue a gente não deve brigar, e sim se unir. Na última epidemia vimos que não estávamos preparados para curar e não estávamos preparados para diagnosticar. Acho que devemos nos preparar de uma maneira apartidária, mais médica do que militar.”

23h09 – Peregrino diz que na Baixa Fluminense falta água e sobra esgoto. Diz que o morador das periferias não é visto por Cabral, “pois ele só anda de helicóptero”. Segundo ele, é muito preocupante possibilidade de epidemia de dengue: 861% de aumento de registros de caso este ano em comparação ao ano passado.

23h09 – Gabeira pergunta a Peregrino sobre possível epidemia de dengue no próximo verão.

23h07 – “Sua visão de segurança pública é muito limitada”, Gabeira ataca Cabral. Diz que apresentou emendas para investimentos em ações sociais que resultam em redução na criminalidade, segundo ele.

23h07 – Cabral: “Os índices criminais reduziram em todo o Estado, não só nas áreas de UPPs. Temos uma polícia motivada. O que eu me pergunto é porque o senhor, sendo deputado federal por tanto tempo, porque o senhor nunca fez nenhuma emenda para conseguir dinheiro para a segurança pública?”

23h06 – Diz que projeto de segurança tem que ser para todo o Estado.

23h05 – Gabeira diz que prisões de milicianos representam “falso sucesso”. Os líderes são sudedidos pelo segundo escalão ou pelo tráfico, segundo ele. O verde diz que as milícias podem ser totalmente desbaratadas.

23h04 – Cabral pode escolher o tema para perguntar. Diz que é o maior problema enfrentado no Rio de Janeiro. “As demais políticas precisam de investimento na segurança pública. Creio que avançamos em várias direções. Como o senhor conduzirá essa política de segurança pública?”

23h03 – No intervalo, Clarissa Garotinho provocou Cabral. “Fala bem do Garotinho como nos velhos tempos”, gritou ela. Os amigos de Cabral vaiaram!

23h00 – Série de reportagens publicadas em janeiro no Estado revelou que a primeira-dama é advogada do Metrô e da Supervia foi revelada pelo Estado. Leia.

22h59 – Peregrino: “UPPs têm outro problema. O governador avisa 48 horas antes as comunidades que vão ser ocupadas. Os bandidos vão para outros bairros da capital e da Região Metropolitana”.

22h59 – Gabeira diz que o Rio de Janeiro precisa ter um plano de segurança. Critica a dissolução do Batalhão Rodoviário. “Nós vemos também muitos soldados que vem do interior fazer concurso e querem voltar para suas cidades e não deixam.”

22h58 – Peregrino não responde a Gabeira. Prefere continuar a citar o fato da primeira-dama ser advogada de concessionárias de serviço público do Rio. No pouco tempo que sobrou, fez críticas genéricas às políticas de segurança de Cabral.

22h56 – Gabeira diz que as UPPs estão sendo bem sucedidas mas cita assaltos e arrastões e pergunta para Peregrino diz qual a sua posição sobre o assunto.

22h56 – Adriana Ancelmo, primeira-dama do Rio, está na plateia e sorriu quando foi citada por Peregrino.

22h55 – Gabeira cita a nota fiscal eletrônica. Acha que o sistema não foi bem desenvolvido no Rio. Diz que faltou equipamento e que poucas empresas aderiram e que o projeto não prevÊ a devolução do recurso ao contribuinte.

22h55 – Cabral na réplica cita a prisão de mais de 500 milicianos e afirma que as contas do Estado estão em dia. “Todos os aposentados do Estado estão recebendo em dia, todos os servidores receberão na próxima segunda-feira.”

22h53 – Gabeira diz que se preocupa com a questão de sobrecarga de impostos na área de energia e telecomunicações. Diz que precisa corrigir distorções.

22h53 – Cabral pergunta para Gabeira quais serão as prioridades do candidato verde para as finanças.

22h51 – Cabral justifica que quando conheceu a mulher ela já era advogada. “Depois que eu sair do governo, ela continuará sendo advogada”.

22h50 – Peregrino diz que os problemas nos transportes são operacionais e que o poder não fiscaliza as concessionárias. O candidato do PR questiona como o governo do Rio vai fiscalizar se a mulher do governador é advogada de uma concessionária e vincula o caso a o que acontece no caso Erenice.

22h49 – Cabral diz que o Rio venceu desafio que parecia impossível, conseguir as Olimpíadas. A cidade já havia perdido duas vezes. Cabral diz que investe em transporte depois de duas décadas de abandono. Informa que novos trens para o sistema ferroviário chegam ano que vem e que o metrô também receberá novos vagões – que não eram comprados desde 1980.

22h49 – Fernando Peregrino é o primeiro a perguntar. Questiona Cabral como ele pretende resolver os “graves problemas de infraestrutura” que ele está deixando em tempo para as Olimpíadas.

22h45 – Márcio Gomes pede que plateia não se manifeste, mas libera aplausos no início do debate.

22h45 – Começa o debate.

22h38 – O apresentador Márcio Gomes anunciou que o debate começará às 22h44. O horário foi estabelecido para que todos os debates estaduais comecem simultaneamente. Enquanto o programa não começa, candidatos e convidados assistem à novela Passione nos monitores ligados no estúdio.

22h20 – Os três candidatos ao governo do Rio que participarão do debate já estão posicionados. Sérgio Cabral (PMDB), que tenta a reeleição, Fernando Gabeira (PV) e Fernando Peregrino (PR) esperam o início do programa já na bancada. Estão acompanhados de aliados no estúdio. Com Cabral, está o seu vice, Luiz Fernando Pezão, e os dois candidatos ao Senado de sua chapa, Lindberg Farias (PT) e Jorge Picciani (PMDB). Já Gabeira está acompanhado de seu vice, o ex-deputado federal Márcio Fortes (PSDB), e de Alfredo Sirkis (PV), presidente do PV no Rio. Peregrino, candidato apadrinhado pelo casal Anthony e Rosinha Garotinho, está acompanhado da vereadora Clarissa Garotinho (PR), filha dos ex-governadores e candidata à deputada estadual.

pesquisa_rio.gif

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.