As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Campanha de Serra estuda processar Paulo Bernardo por críticas a Índio da Costa em site do governo

Camila Tuchlinski

22 Julho 2010 | 14h55

Rodrigo Alvares

A equipe de advogados da campanha do presidenciável José Serra (PSDB) está reunida neste momento para decidir se vai apresentar nesta quinta-feira representação contra o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, por uso da máquina pública em favor da campanha de Dilma (PT). “Não há uma decisão tomada ainda. Estamos estudando o material”, afirmou ao Radar Político o advogado do PSDB José Eduardo Alckmin.

mp3

O portal do Ministério do Planejamento publicou e depois apagou de seu canal no YouTube a íntegra de reportagem do Jornal da Noite (Band) que foi ao ar no dia 19, na qual Paulo Bernardo critica as declarações feitas pelo vice na chapa do tucano, Índio da Costa (DEM), de que o PT é ligado às FARC e ao narcotráfico. Na matéria – que estava em destaque no site desde anteontem, Bernardo chama Índio de “idiota”. A assessoria de imprensa da pasta declarou que a veiculação da matéria “foi um erro do estagiário”.

Ontem, depois de ser contatada pelo Radar Político sobre o vídeo, a assessoria de imprensa da pasta retirou a reportagem do ar no início da tarde de hoje e a substituiu por uma matéria da NBR sobre o “Minha Casa, Minha Vida”. Nenhum assessor do ministério foi encontrado para comentar a mudança. Entretanto, o site da TV Bandeirantes mantém a reportagem no ar.

Em nota, o Ministério do Planejamento afirmou que “foi colocada no ar matéria em que o ministro responde a indagações da imprensa sobre as declarações do candidato a vice presidente na chapa de José Serra, ocorrida no dia anterior e a resposta do ministro Paulo Bernardo sobre o assunto. (…) O Ministério do Planejamento em sua página oficial não repercute temas eleitorais sob nenhuma circunstância. Consideramos que, nesse caso, houve falha e a substituição da matéria já foi providenciada. Reconhecemos e lamentamos o erro.”

selinho_twitter2