Bélgica apoia Brasil para que ocupe assento permanente no Conselho de Segurança da ONU
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bélgica apoia Brasil para que ocupe assento permanente no Conselho de Segurança da ONU

Jennifer Gonzales

03 de outubro de 2011 | 19h06

Agência Brasil

O governo da Bélgica confirmou nesta segunda-feira, 3, que apoia o pleito do Brasil para ocupar um lugar permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e defendeu a ampliação do órgão. O primeiro-ministro belga, Yves Leterme, disse que o esforço brasileiro é legítimo e que a reforma do conselho é necessária.

Para o governo brasileiro, o Conselho de Segurança, que tem hoje 15 assentos – dos quais cinco são fixos e os demais são rotativos – deve ser ampliado para pelo menos 25 lugares. Segundo integrantes do governo, o órgão não reflete o mundo atual, mas o período em que foi criado após a 2ª Guerra Mundial.

Atualmente são membros permanentes do Conselho de Segurança a China, França, Rússia, o Reino Unido e os Estados Unidos. A cada dois anos, os integrantes do ONU se revezam nos assentos rotativos. Ocupam provisoriamente esses lugares a Bósnia-Herzegovina, Alemanha, Portugal, o Brasil, a Índia, África do Sul, Colômbia, o Líbano, Gabão e a Nigéria.

A presidenta Dilma Rousseff agradeceu o apoio da Bélgica à campanha brasileira em defesa da ampliação do conselho e ao direito de ocupar um assento permanente no órgão. Dilma prometeu que os belgas contarão com o apoio brasileiro para que em 2017 a Bélgica seja a sede da Exposição Internacional de Artes – que reúne obras de artistas de várias partes do mundo em um único evento.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.