As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bancada governista vai recorrer da decisão de convocar Palocci

Jennifer Gonzales

01 de junho de 2011 | 14h01

Denise Madueño, de ‘O Estado de S.Paulo’

Os deputados da bancada governista vão recorrer ao presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), para tentar anular a convocação do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, na comissão de Agricultura da Casa. A decisão foi tomada porque, há pouco, o presidente da Comissão, deputado Lira Maia (DEM-PA), manteve o resultado proclamado na reunião pela manhã de aprovação do requerimento.

Os partidos governistas reclamam da atuação de Lira Maia. Eles argumentam que a maioria da comissão era contrária à convocação. “Ele anunciou um resultado que não existe. Ele mentiu. É uma atitude ditatorial”, protestou o deputado Bohn Gass (PT-RS).

O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), autor do requerimento, afirmou que foi cumprido todo o rito regimental e que o procedimento foi correto. “O governo dormiu, comeu mosca”, disse. Ele disse que é direito dos governistas recorrer da decisão. “O governo pode, no plenário da Câmara, reverter a decisão. Mas o custo político será do presidente da Casa. Nós não vamos recuar”, disse Lorenzoni.

Entre os próprios governistas, há o reconhecimento de que na hora da votação simbólica alguns deputados da base não se manifestaram contrários ao requerimento. “Alguns titubearam. Merecia uma contagem. Boi lerdo toma água suja”, afirmou o deputado Odair Zonta (PP-SC).

O deputado Moacir Micheletto (PMDB-PR) afirmou que houve a quebra da confiabilidade no presidente da comissão. A bancada governista chegou a apresentar um requerimento para que a votação fosse nominal, mas, confiante na maioria da comissão, acabou retirando o requerimento.

“O PT retirou por confiar na lisura do presidente da comissão. Vamos recorrer ao plenário por entender que o ministro Palocci não foi convocado”, disse o deputado Odair Cunha (PT-MG). Ele ressaltou que a vontade da comissão era claramente contra o requerimento de convocação.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: